Publicidade
Manaus
Manaus

Confusão com CEP ‘isola’ residencial Viver Melhor 3, na Zona Norte de Manaus

Serviço dos Correios não chega ao local e moradores ficam sem receber as correspondências, causando transtornos aos habitantes do conjunto 28/02/2015 às 11:40
Show 1
O conjunto tem uma média 2,5 mil moradores desde 2013. Sem poder receber correspondências em casa, moradores se sentem isolados e utilizam endereços de familiares quando para não serem prejudicados
LÍVIA ANSELMO Manaus (AM)

Quando foram contemplados com um apartamento no conjunto residencial Viver Melhor 3, localizado na Avenida Grande Circular, entre as Zonas Norte e Leste de Manaus, os novos proprietários viveram a expectativa de ter o endereço da casa própria em mãos para novas oportunidades. O problema é que  quem mora no local vive a  indefinição do Código de Endereçamento Postal (CEP), que impede o recebimento de correspondências, encomendas por meio da internet e apresenta outros empecilhos.

Inaugurado em novembro de 2013, o conjunto tem 512 apartamentos onde moram cerca de 2,5 mil pessoas. As únicas correspondências que chegam ao local são as contas de água e energia, enviadas pela concessionária, e o boleto de prestação do apartamento, enviado pela Superintendência de Habitação (Suhab).

Segundo os moradores, empresas privadas como agências bancárias, lojas e até mesmo familiares, não localizam os endereços por conta do CEP. Aos 81 anos, o aposentado Luiz Gonzaga Lopes, se queixa por não ser adeptos das novas tecnologias e ver na troca de cartas um dos seus principais meios de comunicação com familiares e prestadoras de serviços. “Isso não pode estar certo. Nós não recebemos nenhuma carta aqui. Nunca vi um carteiro entrar nesse conjunto”, lembra.

As contas de água e luz chegam ao local com o CEP 69.000-000, que é o código geral do estado do Amazonas. Os boletos enviados pela Suhab chegam com código 69088-245, o que confunde os moradores. Nos Correios consta que o conjunto possui o CEP 69099-148.

A confusão de informações já fez com que a dona de casa Fabíola Nunes, 50, tomasse a decisão de realizar cadastros com o endereço da mãe. “Tudo que preciso mando para casa da minha mãe porque tenho  certeza que vai chegar. Não podemos contar que teremos a comodidade de receber em casa”, ressaltou Fabíola, que mora no local há um ano e dois meses. 

Na cidade, todas as contas de água e luz são entregues pelas concessionárias. A dona de casa Anne Botero, 28, conta que muitas vezes o único  serviço prestado para a área chega com atraso. “Todo mês vem, mas chega com atraso. Não sabemos o motivo”.

Conflito

A Suhab informou que na inauguração do conjunto, em 2013, realizou um comunicado aos Correios para providências  quanto ao cadastramento de CEP e que os moradores devem entrar em contato com o órgão para entender  qual o problema.

Os Correios informaram que o conjunto possui um CEP definido, o  69099-148. No entanto, segundo a assessoria, o residencial não atende o artigo 5º da portaria 567/2011 do Ministério das Comunicações, que prevê a instalação  de caixas individuais na entrada do bloco ou designar um responsável para receber as correspondências por bloco, registrando em ATA de reunião.

No entanto, durante a presença da reportagem do A CRÌTICA no local, ficou constatado que os blocos do residencial possuem caixas postais. Ainda de acordo com os Correios, as correspondências enviadas a moradores do conjunto podem ser retiradas  na unidade Centro de Distribuição Domiciliar – CDD, Cidade Nova, rua dos Navegantes,  nº1, Cidade Nova, ao lado do T3.


Publicidade
Publicidade