Publicidade
Manaus
Manaus

Consultas são canceladas e doentes são prejudicados no PAM da Codajás

Um dos médicos especialistas deixou de atender pacientes para dar aula durante o horário das consultas previamente agendadas 20/02/2014 às 08:30
Show 1
Consultas são canceladas e doentes são prejudicados no PAM da Codajás
Carolina SIlva ---

Usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) denunciaram o mau atendimento no setor de Endocrinologia do Pronto Atendimento Médico (PAM) da Codajás, na Cachoeirinha, Zona Sul, depois que um dos médicos especialistas deixou de atender pacientes para dar aula durante o horário das consultas previamente agendadas.

Há uma semana a autônoma Nilda Terezinha de Souza, 47, está morando de favor na casa de parentes depois de ter vindo do Município de Envira (distante 1.215 quilômetros da capital) para acompanhar o filho doente na consulta ao endocrinologista no PAM. Mas ontem, quando o filho finalmente conseguiria ser atendido pelo especialista, a consulta não foi realizada.

Além do filho de Nilda, aproximadamente mais dez pacientes também estavam com consultas agendadas para ontem à tarde com um dos médicos endocrinologistas da unidade. Mas a maioria dos usuários teve que retornar para casa sem saber quando conseguirão, finalmente, ser atendidos.

“Eu vim com um encaminhamento dado pelo médico de Envira. Viemos pela manhã e nos disseram para vir à tarde que o médico atenderia. Mas, infelizmente, nada foi feito. Agora não sabemos por quanto tempo mais teremos que ficar em Manaus porque a passagem pra vir pra cá é cara e não temos como ficar indo e voltando o tempo todo”, desabafou Nilda.

A funcionária pública Vanderli Alencar, 50, também precisou faltar dois dias ao emprego também por causa do mau atendimento no setor de Endocrinologia do PAM.

“Na segunda-feira ligaram para dizer que a consulta seria na terça-feira. Viemos no dia seguinte e remarcaram para hoje (ontem). Chegamos aqui e novamente meu marido não foi atendido. Há mais de um ano ele está tentando a consulta para fazer exames. Isso é uma falta de respeito”, lamentou Vanderli.

Segundo os usuários, o médico disse que só atenderia cinco pacientes porque teria que dar aula a uma turma de acadêmicos de Medicina.

Desculpa

 Em nota, o diretor do PAM da Codajás, Fábio Shimizu, informou que a situação envolveu pacientes agendados para atendimento durante aulas de práticas clínicas, para acadêmicos de Medicina da UniNilton Lins, com acompanhamento de médico preceptor. A situação é parte de convênio de estágio supervisionado, firmado entre a unidade de saúde e a universidade. Também justificou que há um limite do número de pacientes a ser atendido quando há essa atividade e que provavelmente houve agendamento a mais do que o previsto, já que este é feito pela própria unidade de saúde e não pelo Sistema de Regulação. Shimizu disse que os pacientes não atendidos ontem à tarde terão a consulta reagendada para o mais breve possível e a direção adotará medidas para a situação não se repetir.

Publicidade
Publicidade