Publicidade
Manaus
DIFICULDADES

Consumidores protestam contra falta d'água nas zonas Oeste e Centro-Sul de Manaus

Racionamento feito de maneira “velada” é problema que se arrasta há meses e concessionária não toma medidas definitivas 05/11/2017 às 20:28 - Atualizado em 06/11/2017 às 08:49
Show zcid030601 p01
José de Melo e sua esposa Laudemiza Barros sofrem com problemas de abastecimento de água no Parque Dez. Foto: Jander Robson / Freelancer
Paulo André Nunes Manaus (AM)

A irregularidade no abastecimento de água vem tirando o sono dos moradores em zonas como a Oeste e Centro-Sul da cidade, num problema que se arrasta há meses e sem solução por parte da concessionária.

Um dos registros que mais irrita moradores vem da Compensa 1, mais precisamente na rua Danilo Matos Areosa, próximo à Escola Estadual João Bosco Evangelista, Zona Oeste. É o que relata o topógrafo Sidney Barbosa, 41, ao comentar sobre o racionamento que vem sofrendo em sua residência, especialmente nos últimos meses.
“Temos água apenas durante períodos, pois ela altera entre fraca e inexistente. De 8h às 15h a água é interrompida, ficando fraca e só voltado a normalizar às 23h. Daí ela fica fraca até 5h quando para de novo. Isso acontece de segunda a segunda há quatro ou cinco meses”, comentou o topógrafo.

Apesar do problema ocorrer todos os dias, a situação piora mesmo é aos finais de semana, completa ele. “No sábado as condições pioram e, aos domingos, praticamente não temos água pra nada”, conta o topógrafo, que mora com mais seis pessoas, inclusive a esposa e a enteada, em uma casa de dois andares na rua Danilo de Matos Areosa, localidade próxima ao conjunto Iphase. “A água não tem força para chegar ao segundo piso da casa”, ressalta.

O mais absurdo, diz Sidney Barbosa, é que a residência dele fica a “cerca de um quilômetro da Ponta do Ismael”, local onde é feita a captação de água para abastecer parte da cidade. “E de uns tempos pra cá tem acontecido com mais frequência. Há seis meses nós reclamamos para a concessionária (Manaus Ambiental). A situação normalizou, mas voltou a piorar  e está desse jeito atualmente”, destaca Barbosa, que classifica o tratamento como um “descaso total e completo”.

Parque dez

Outro caso de insuficiência de abastecimento de água ocorre na rua Álvaro Braga, Parque Dez de Novembro, próximo ao Jardim Amazonas, Zona Centro-Sul, na residência da dona de casa Laudemiza Oliveira Barros: há 15 dias ela enfrenta problemas. “Estou morando há cerca de 1 ano aqui e a água que vem para nós é muito fraquinha. De noite, principalmente, a água não sobe para a nossa caixa d’água. Pra colocar água no vaso sanitário, por exemplo, só com um balde. Pra banho, só de torneira. Já denunciamos a situação para a Manaus Ambiental e eles disseram que o problema era com a bomba de água e que seria resolvido. Mas nada até hoje”, comentou ela, que vive com o marido, José de Melo.

“A água chega meia-noite e vai embora às 6h, e só escorrendo, bem fraquinha”, reforça José de Melo. Ambos utilizam uma caixa d’água de 1000 litros que eles enchem com a pouca oferta da torneira.

Publicidade
Publicidade