Publicidade
Manaus
OBRAS

Convênio para monitorar sauim e seguir com obras na av. das Torres está em fase final

Conclusão de tratativas para proteger o primata nativo da região metropolitana de Manaus é contrapartida para implantar os trechos 1 e 2 da avenida 29/01/2018 às 09:25
Show img 20180126 wa0035
Foto: Divulgação
acritica.com

A Secretaria de Estado de Infraestrutura (Seinfra) está em fase de conclusão das tratativas do convênio com a Universidade Federal do Amazonas (Ufam) para o monitoramento do primata sauim-de-coleira como forma de contrapartida ambiental para as obras e serviços de engenharia da implantação da avenida das Torres, trechos 1 e 2. O animal é nativo da região metropolitana e símbolo de Manaus.

Além do monitoramento da espécie em risco de extinção, a Ufam também executará a recuperação de fragmento florestal e passagens da fauna das áreas indicadas pelo grupo de trabalho criado pelo Ministério Público Federal (MPF), Centro Nacional de Pesquisa e Conservação da Biodiversidade Amazônica e Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Cepam/ICMBio), bem como a recuperação de áreas degradadas no Parque Estadual Sumaúma.

“Essa ação segue uma determinação do governador Amazonino Mendes, que entende a necessidade da conservação da espécie do sauim-de-coleira para a harmonia da biodiversidade da fauna amazônica, bem como de haver consonância entre o desenvolvimento da cidade como bem público, como a avenida das Torres, e o equilíbrio com o meio ambiente”, ressaltou o titular da Seinfra, engenheiro Oswaldo Said.

“A Ufam tem o papel de executar algumas ações de recuperação de áreas degradadas, instalar cinco passagens de fauna e  monitorar os grupos de sauins no Parque Sumaúma. A recuperação das áreas degradadas será feita usando mudas de árvores nativas de nossas florestas e que, em grande parte, possam fornecer alimento aos animais”, informou o biólogo  Marcelo Gordo, que é pesquisador e diretor do projeto Sauim-de-Coleira da Ufam, o qual coordena  desde 2002.

Segundo ele, o monitoramento será feito usando material de radiotelemetria e armadilhas fotográficas nas passagens de fauna. Marcelo explicou que o projeto possui estudos a respeito do efeito da fragmentação nas populações de sauins e sobre história natural, demografia e viabilidade populacional dessa espécie. Também já foram realizados alguns estudos do deslocamento e área de vida, inclusive dentro do Parque Sumaúma.

Plano de ação

Em 2018, inicialmente, serão desenvolvidas a parte burocrática e, logo em seguida, providenciada a produção das mudas e planejamento dos plantios. Quanto ao monitoramento dos sauins, serão realizadas as capturas para instalar o equipamento nos animais. Uma vez iniciado o monitoramento, será possível ter maior certeza de onde instalar as passagens de fauna, que serão feitas apenas após esses dados coletados, ou seja, em 2019 ou até mesmo 2020.

Série de riscos à  espécie

O sauim-de-coleira é considerado criticamente ameaçado de extinção, conforme portaria nº 444, do Ministério do Meio Ambiente. Especialistas que avaliaram essa espécie consideram que a distribuição do sauim-de-coleira é restrita, isto é, só existe em Manaus e em parte de Itacoatiara e Rio Preto da Eva. E cada vez mais a espécie está isolada dentro de fragmentos florestais devido aos efeitos do desmatamento; à competição com o sauim-de-mãos-douradas; e à expansão urbana desordenada.

Esses são fatores expressamente determinantes que ameaçam demasiadamente a espécie, podendo levá-la à extinção em um curto espaço de tempo. Pesquisadores estimam que hoje existam, aproximadamente, 30 mil sauins-de-coleira na natureza. O primata é estudado há cerca de 14 anos por pesquisadores da Ufam.

Escolha e valor

A Ufam foi escolhida como unidade executora em virtude de, atualmente, oferecer melhor estrutura. A instituição possui larga experiência e produção de pesquisas científicas com o monitoramento da fauna, em especial, do sauim-de-coleira. Esse convênio terá a duração de três anos. O valor do investimento é de R$ 747.448,15.

Engajamento

Em 2015, a  Seinfra  executou ações de apoio à Semana do Sauim-de-Coleira, as quais foram realizadas nas dependências de um shopping da capital,  com apresentação de exposição fotográfica, debates e distribuição de material educativo à conscientização para preservação da espécie. O evento contou com a parceria de diversas entidades e órgãos ligados à preservação do meio ambiente de todas as esferas de governo.

Publicidade
Publicidade