Publicidade
Manaus
Manaus

Coren/AM investiga denúncia contra enfermeira que teria injetado leite na sonda de um bebê em Manaus

Órgão vai apurar denúncia em que técnica em enfermagem é acusada de dar injeção errada em bebê internado desde 25 de julho 11/09/2013 às 08:53
Show 1
Isaac luta pela vida há quatro meses, tendo superado duas paradas cardíacas, pneumonia e complicações menores
Carolina Silva Manaus

O Conselho Regional de Enfermagem do Amazonas (Coren/AM) vai apurar a suspeita de negligência de uma técnica em enfermagem durante a injeção de leite no tubo da sonda de gastrostomia, onde deveria ser injetado apenas soro. O fato é apontado como a causa da piora do estado de saúde de um bebê de quatro meses, conforme o pai da criança.

O menino está internado no Instituto da Criança do Amazonas (Icam), na Zona Sul. A direção da unidade afastou a técnica de enfermagem da função, na segunda-feira (9), embora negue que o erro de procedimento tenha relação com a piora do quadro de saúde do bebê.

“Nós tomamos conhecimento do caso pela imprensa e procederemos à apuração do mesmo. Como as informações são preliminares, nós iremos verificar na unidade todas as informações, inclusive os prontuários do bebê“, disse o presidente em exercício do Coren/AM, Clodoaldo Almeida.

Segundo o conselho, dentro de dez dias deve ser concluído o relatório da equipe de fiscalização do conselho que será encaminhado a um conselheiro responsável.

“Ele será analisado para definir se um processo ético será aberto contra a técnica de enfermagem. Nesses casos é feita a apuração das denúncias e partir daí é aberto um processo ético que dará à profissional a possibilidade de se defender”, completou Almeida.

A técnica em enfermagem será ouvida por uma comissão ética que vai apurar toda a situação envolvendo o bebê Isaac e estará sujeita a penalidades que vão desde a advertência até a cassação do registro pelo Conselho Federal de Enfermagem (Cofen).

O pai do bebê, Roberto Fernandes, 47, denunciou que a injeção de leite causou o rompimento da bexiga de Isaac e por isso agravou o estado de saúde dele. A direção do hospital contesta a informação e disse que o erro da técnica de enfermagem provocou o rompimento do balão da sonda de gastrotomia, que é usada em pacientes impossibilitados de ingerir medicamentos ou alimentos por via oral.

“Essa sonda é ligada diretamente ao estômago porque ele tem uma sequela neurótica e não consegue deglutir. Houve uma falha da técnica e ela colocou o leite pela via que tem o balão e quando se ultrapassou 3 ml, ele rompeu. A bexiga do bebê está íntegra. O rompimento do balão não causou danos à saúde dele e já foi substituída”, disse a diretora do Icam, Christianny Costa Sena.

‘Troca’
O bebê está com dois acessos na sonda, sendo um para receber medicação (soro) e outro exclusivo para alimentação. O pai havia denunciado que no tubo usado para injetar soro na bexiga poderiam ser aplicados apenas 3 ml do líquido, enquanto que no outro usado para a alimentação eram aplicados 34 ml de leite. Entretanto, os 34 ml de leite foram aplicados de uma única vez onde só comportava 3 ml de soro.

Publicidade
Publicidade