Quinta-feira, 27 de Junho de 2019
VELÓRIO

Corpo de lutadora morta a tiros em festa de aniversário é recebido por multidão em Tefé

Patrícia da Cunha Leite, de 26 anos, natural do município amazonense, foi assassinada no domingo (27). “Não esperava tanta gente assim”, disse a mãe da lutadora



30/01/2019 às 12:47

Uma multidão de pessoas recebeu na noite de ontem, terça-feira (29), no município de Tefé, a 523 quilômetros de Manaus, o corpo da lutadora de de jiu-jítsu Patrícia da Cunha Leite, assassinada a tiros no último final de semana em Manaus, durante a festa de aniversário de 26 anos dela. Natural de Tefé, Patrícia foi baleada com um tiro na cabeça. Até a manhã de hoje o corpo dela continuava sendo velado na cidade. O sepultamento foi previsto para as 16h desta quarta (30).

O funeral com o corpo de Patrícia percorreu as ruas da cidade acompanhado de dezenas de carros e motos. Em vídeos compartilhados nas redes sociais, é possível ver um veículo de funerária com o corpo da lutadora e, logo atrás, familiares, amigos e moradores de Tefé em carros e motocicletas. Um carro de som com cânticos religiosos também acompanha o grupo.

A mãe de Patrícia, a dona de casa Maria Graça Pereira da Cunha, de 52 anos, conversou por telefone com a reportagem do Portal A Crítica. Ela se mostrou surpresa pela recepção à filha na cidade natal. “Eu sabia que ela tinha amizades, todo mundo gostava dela, mas eu não esperava tanta gente assim. Ela era muito querida. Não podia ver alguém sem roupa, que dava roupa. Não podia ver alguém com fome, que arranjava rancho. Era sorridente, fazia amizade com todo mundo, tanto aqui quanto em Manaus. Ontem tinha tanta gente que parecia posse de prefeito. E hoje a minha casa não resistiu a quantidade de pessoas, tivemos que encaminhar (o corpo) para a igreja”

“Graça”, como é conhecida, também pediu justiça pela morte da filha. “Eu quero que se faça justiça. Eu sei que não vão trazer a minha filha de volta, a minha filha preciosa, que me ajudava em tudo, mas eu quero justiça”, finalizou, emocionada.

O corpo de Patrícia é velado na Igreja Bom Jesus, em Tefé, e deve ser sepultado às 16h de hoje no cemitério da cidade.

Assassinada no aniversário

Patrícia da Cunha Leite, 26, foi morta no domingo (27) com um tiro na cabeça durante a festa de aniversário dela, em Manaus, no bairro Japiim, Zona Sul. A lutadora de jiu-jítsu ainda foi socorrida e levada a um hospital, mas não resistiu.

Segundo a polícia, homens em um carro chegaram à residência onde estava sendo realizado o aniversário, chamaram Patrícia pelo nome e depois a mataram. Eles também levaram pertences dos convidados

Ex-namorado de amiga

Três suspeitos do crime foram presos: Carlos Eduardo de Alencar Navegante, 22, Carlos Abraão Rodrigues Farias, 19, e Ronaldo Borges Silva, 32. Segundo a polícia, Eduardo foi apontado como mandante do crime. Ele seria ex-namorado de uma amiga de Patrícia, identificada como Luciane Cardoso da Silva, 19.

A família de Patrícia acusou Eduardo de ser o mandante do assassinato. Segundo eles, Eduardo e Patrícia tiveram desentendimentos anteriores porque a lutadora não aceitava as agressões cometidas por Eduardo contra a amiga dela, Luciane, enquanto os dois namoravam. Ontem, em entrevista à TV A Crítica, Luciane afirmou que não tem envolvimento ou culpa pelo assassinato de Patrícia e que também estava sofrendo pela perda da lutadora. O caso continua sendo investigado.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.