Quinta-feira, 25 de Abril de 2019
publicidade
1.jpg
‘Canhão’, ‘lançador de míssil’ e ‘p... de aço’ são alguns dos apelidos dados à haste cromada que ficou sem finalidade
publicidade
publicidade

Manaus

Cortina d’água: População zomba de monumento e pede explicações sobre seu funcionamento

Obra na rotatória do Mindu, que daria origem a um espelho d’água, passará por vistoria técnica. O monumento só funcionou no dia da inauguração


26/04/2013 às 09:23

Sete meses após ser entregue pelo ex-prefeito Amazonino Mendes (PDT), grande parte da população continua sem entender a finalidade de uma haste de metal cromado instalada na rotatória do Mindú, Parque Dez, Zona Centro-Sul. A estética do monumento objeto de chacota: ‘canhão’, ‘lançador de missil’ e ‘p.. de aço’ são alguns dos apelidos dados pelos moradores e motoristas.

O monumento que daria origem a uma cortina d’água só chegou a funcionar no dia da inauguração do projeto arquitetônico e, de lá pra cá, quem passa pelo local não tem visto nem sequer uma gota d’água caindo da haste. “Se estivesse funcionando este monumento estaria livre de questionamentos. Mas do jeito que está é inevitável”, disse a autônoma Luciana Almeida, 41. “Seria melhor, visualmente, se não tivessem colocado essa haste”, criticou o comerciante Lindolfo Melo, 53.

A obra de revitalização da rotatória do Mindú, de responsabilidade do Instituto Municipal de Ordem Social e Planejamento Urbano (Implurb), foi entregue no dia 22 de setembro de 2012 e é uma medida compensatória. O projeto englobou três piscinas com chafarizes, iluminação, calçamento, pavimentação e jardinagem, além da instalação do monumento.

O Implurb informou nesta quinta-feira (25) que a gestão anterior havia recebido a obra da rotatória como concluída, com publicação inclusive no Diário Oficial do Município (DOM). Disse ainda que solicitou uma vistoria técnica, da Engenharia do órgão e do Departamento de Planejamento (DPLA), para que os analistas verifiquem se a construção foi executada conforme o projeto e se cumpriu toda a tramitação da medida compensatória, dentro dos termos assinados em contrato. Neste caso, inclui também o funcionamento do monumento instalado.

Muitas pessoas reconhecem que projeto da rotatória deu nova imagem e melhorou o trânsito no local, que historicamente apresentava retenção, mas a situação do “canhão” incomoda muita gente.

publicidade

Objeto de piadas nas redes sociais

O projeto arquitetônico da rotatória do Mindu, depois que foi entregue, foi alvo de críticas e sátiras com conotação sexual nas redes sociais Twitter e Facebook. Muitos manauaras criticaram o monumento.

O projeto inicial previa a construção de um monumento em homenagem ao parque municipal do Mindu. Ele teria jardim com calçamento, luminárias e, no centro, a metade de um globo com uma árvore no meio, cercado por um espelho d´água. O projeto foi anunciado em fevereiro de 2011.

O funcionamento da fonte deveria ser controlado com uma programação de horários específica nos quais o funcionamento do sistema é ativado. 

“É um monumento de péssimo gosto por conta dessas conotações sexuais. O primeiro projeto arquitetônico era mais bonito e não seria alvo de chacotas pela população que também se ofendeu com isso”, disse o empresário Alceu Gomes, 45.

Confira mais notícias aqui.

publicidade
publicidade
Obras na Silves e Maués: famílias próximas ao Igarapé do 40 serão realocadas
Prefeitura do Rio de Janeiro inicia demolição de prédios na Muzema
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade

publicidade
publicidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.