Quarta-feira, 20 de Novembro de 2019
Manaus

CPI da água cria agenda de visita em maiores zonas eleitorais de Manaus

A decisão de fazer as audiências nos bairros foi anunciada ontem, pelo presidente da CPI, vereador Leonel Feitoza (PSD)



1.jpg Vereadores, membros da CPI da Água, prometem manter as atividades durante os 15 dias de recesso na Câmara Municipal, que se estenderá até 10 de julho
26/06/2012 às 07:58

Os bairros Grande Vitória e Nova Vitória, na Zona Leste, serão os primeiros a serem visitados, a partir de quinta-feira, às 19h, por vereadores da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Água. As duas zonas concentram 39% do eleitorado de Manaus. São 459.300 votos. As audiências públicas nos bairros das Zonas Leste e Norte coincidem com o início da campanha eleitoral, no dia 6 de julho, de acordo com o calendário eleitoral do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). A decisão de fazer as audiências nos bairros foi anunciada ontem, pelo presidente da CPI, vereador Leonel Feitoza (PSD).

 Ele disse que a intenção é ouvir os moradores dessas comunidades para saber como é o serviço de fornecimento de água: “O que vamos fazer é uma espécie de audiência pública da CPI, confrontando as informações prestadas pelos técnicos da Manaus Ambiental com as das comunidades”, disse o vereador Waldemir José (PT), um dos membros da comissão. As visitas às duas comunidades serão as primeiras de uma série programada pela CPI. Para o vereador Leonel Feitoza, esse é um momento vital das investigações porque “tem muitas informações e muitas contradições”, disse. “Vamos ver quem fala a verdade. A empresa Águas do Amazonas (Manaus Ambiental) fala que o serviço prestado é uma maravilha e a população diz que o serviço não existe”, afirmou Feitoza.



O calendário inicial das visitas está assim definido: Quinta-feira, reunião no bairro Grande Vitória; dia 2, no Jorge Teixeira; dia 5, no bairro Santa Etelvina. Além das visitas aos bairros, os membro da CPI programam para dia 3 de julho votar a convocação de representantes da diretoria da antiga Águas do Amazonas, e da atual Manaus Ambiental. Serão convocados Ademar Castelo Branco, Osvaldo Rodrigues de Souza, José Francivito Diniz, Vicente Ferreira Linhares Junior e Marcelo Santos Silva. O vereador Marcel Alexandre, relator da CPI, disse ontem que o documento final a ser redigido por ele não possui informações suficientes: “Ainda há muito para terminar meu relatório, tudo o que perguntamos aos diretores convocados até agora pela comissão eles simplesmente não responderam de forma satisfatória” declarou.

 A convocação de ex-prefeitos foi adiada mais uma vez. A última havia sido no dia 23 de maio, quando os membros da CPI votaram a convocação do ex-prefeito Serafim Corrêa (PSB), do ex-prefeito e atual senador Alfredo Nascimento (PR), do ex-prefeito e atual senador Eduardo Braga (PMDB) e o prefeito Amazonino Mendes (PDT). “Primeiro temos que ouvir os técnicos para saber como foi feita toda essa questão, para depois ouvir as pessoas que administraram a cidade nessa época. Isso não tem a ver com as convenções partidárias. A eleição vai acontecer a par disso tudo. Somos vereadores e trabalhamos pela cidade. Política nós fazemos na hora que é para fazer política” disse o vereador Leonel Feitoza.

Convocação coercitiva
O nome de Carlos Villar, presidente do grupo Solvi, que mantém parte do controle da nova empresa Águas do Brasil, teve sua convocação pedida à Justiça por parte da CPI. Ele quer ser ouvido em São Paulo, o que, na opinião dos vereadores, dificulta o trabalho. Leonel Feitoza disse que o pedido ainda aguarda posição da Justiça, e que não se pode fazer nada a respeito até que seja definitivamente apreciado.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.