Terça-feira, 12 de Novembro de 2019
OBRAS INACABADAS

Cratera ameaça 'engolir' rua e derrubar casas na Cidade Nova

'Só vão tomar alguma providência quando o barranco cair e levar as casas', diz uma moradora da rua Ladário, no conjunto Canaranas, Zona Norte da capital



Cratera_C2C77DEC-E473-4238-8418-344EB6BC6F0D.JPG Foto: Euzivaldo Queiroz
25/09/2019 às 08:28

Um barranco prestes a desabar devido a uma obra inacabada da Prefeitura de Manaus tem preocupado os moradores da rua Ladário (antiga rua B), conjunto Canaranas, bairro Cidade Nova, Zona Norte da capital. O local, que há anos foi uma praça, precisou de uma intervenção no sistema de esgoto, após vários trabalhos naquele local, a área cedeu e agora virou transtornos à população.

Da última vez que estiveram no local, no ano passado, as equipes de infraestrutura do Município iniciaram as obras no sistema de tubulação, porém não finalizaram os serviços. Este é o principal pedido dos moradores, que os serviços sejam concluídos.



“Esse barranco está assim há pelo menos cinco anos. Fizeram uma tubulação, já aterraram, mas nunca deu certo. Tem um ano que  vieram para ajeitar a tubulação lá embaixo, e nada de terminarem a obra. Está desbarrancando com as chuvas, já caíram árvores. Tenho inclusive filmagem do Artur (Neto, prefeito de Manaus) prometendo que ia ajeitar”, disse a pensionista Glenda Cabete, 49, que mora há 15 anos na localidade.

“A nossa comunidade antigamente   tinha uma praça, era bem cuidada por nós mesmo e agora está assim. O que acontece são serviços mal concluídos. Só vão tomar alguma providência quando o barranco cair e levar as casas”, disse ela, acrescentando ser necessária também pavimentação nas ruas do conjunto. “Os transtornos são vários, porque toda a água da chuva do Canaranas  que desce no barranco. É por ali pessoas que se escondem para assaltar. E as ruas que estão sem asfaltamento”, acrescentou ainda.

Reclamação parecida faz o dentista, Nerlison Santos, 44. “Esse barranco tem pelo menos 50 metros (de altura). O que acontece é o seguinte: esse barranco foi arrumado, colocaram um esgoto, aterraram só que cedeu. O que acontece dessa segunda vez é que foram fazer os trabalhos, porém não terminaram”, disse. “O barranco da rua B cedeu e desabou o fundo de duas casa da rua 87. Vai começar o inverno e as duas casas estão se acabando. Foi um ano e, nessa brincadeira, e nada de arrumarem”, ressaltou. 

Os transtornos citados por Nerlison foram na casa do professor Onácio Danes Ferreira da Costa, 38. Ele afirma que o problema se agrava com as chuvas. “Desmoronou o muro da minha casa. Quando a gente fica em alerta, é até preciso sair de casa quando há um forte temporal. O barranco também serve de acesso para as pessoas se esconderem. Essa obra foi refeita bem umas três vezes. Resumindo gastam dinheiro e não terminam”, afirmou.

Prefeitura 

Procurada pela reportagem, a prefeitura informou que, sobre as casas atingidas, inseriu as famílias no Aluguel Social após visita da Defesa Civil municipal ao local  e que a ocorrência do barranco foi encaminhada à Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf), que vai concluir a obra.

 

News karol 2d8bdd38 ce99 4bb8 9b75 aaf1a868182f
Repórter de Cidades
Jornalista formada pela Uninorte. Apaixonada pela linguagem radiofônica, na qual teve suas primeiras experiências, foi no impresso que encarou o desafio da prática jornalística e o amor pela escrita.

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.