Segunda-feira, 19 de Agosto de 2019
SEM PALAVRA

Creches, cidade inteligente, BRT: prefeito de Manaus completa 5 anos de promessas

Artur Neto ainda não conseguiu imprimir uma grande marca na administração, deixando uma série de promessas feitas em suas duas campanhas eleitorais



851.jpg Em cinco anos de gestão, Artur Neto ainda não conseguiu imprimir uma grande marca em sua administração (Foto: Reprodução)
07/01/2018 às 09:25

Em cinco anos à frente da Prefeitura de Manaus, algumas das principais propostas do prefeito Artur Neto (PSDB) nos períodos de campanha ficaram apenas no discurso. O tucano deixa  pelo caminho uma série de promessas feitas em busca de votos nas eleições de 2012 e 2016. Seus compromissos ficaram registrados não somente na memória do eleitor, mas também em planos de governo, programas eleitorais, debates e entrevistas.

Em 2012, uma das principais promessas de campanha de Artur era a construção, em quatro anos de mandato, de 110 creches. A má repercussão da promessa não cumprida foi tão grande, que na campanha de 2016, o Plano de Governo Manaus 2017-2020, na área de educação, sequer citou uma única vez a palavra “creche”.

A Secretaria Municipal de Educação (Semed) informou que existem hoje na capital 14 creches, sendo dez unidades próprias e quatro conveniadas. Desta forma, das 110 creches prometidas por Artur em 2012, faltam outras 100 saírem do campo da promessa.

Há ainda uma lista extensa de promessas não cumpridas em 2012 e que foram replicadas na campanha de 2016 e que até hoje não saíram do papel. Uma delas é a implantação do BRT ou “Ônibus Metrô”. Em programa eleitoral que foi ao ar nos dias 25 e 26 de outubro de 2012, Artur afirmou que “a melhor solução para o transporte em Manaus” seria o BRT e que em seu governo, a obra efetivamente sairia “do papel”.

À época, Artur Neto afirmou que a primeira etapa do BRT já havia sido licitada, e incluía a construção de 20 terminais e três estações, totalizando 19 km de extensão. No mesmo programa, ainda na área de transporte, o então candidato prometeu que implantaria a “Tarifa Única”, que seria a integração total do BRT com ônibus comuns e a volta da domingueira - meia passagem para todos aos domingos. Nenhuma dessas foi cumprida.

Em janeiro de 2017, após ter sido reeleito para seu segundo mandato, Artur chegou a declarar que seu vice-prefeito, Marcos Rotta (PSDB), ficaria à frente de um Comitê de Mobilidade Urbana. Até hoje a medida também não saiu do papel. Um dos compromissos de Rotta seria conduzir a implantação do BRT.

Outras promessas do tucano passaram por uma metamorfose somente na nomenclatura, sem virar realidade, como: kit cegonha, onde seriam asseguradas sete consultas de pré-natal para as futuras mães, com direito a um kit contendo enxoval e foto do bebê; Remédio em Casa - Entrega de medicamentos da Cesta do SUS aos pacientes idosos, com doenças crônicas e pessoas com deficiência cadastrados na rede municipal; implantação da Residência Inclusiva para pessoas com deficiência, entre tantos outros.

À espera da ‘Cidade Inteligente’

Se em 2012 a principal promessa de campanha de Artur Neto (PSDB) foi a construção de 110 creches, em 2016 o político vendeu a promessa de implantar o “Cidade Inteligente”. A Cidade Inteligente de Artur Neto envolvia as áreas de trânsito, saúde, educação, segurança, juventude e gestão e finanças públicas.

Entre as promessas não cumpridas no primeiro ano do segundo mandato de Artur, está a implantação do “Sistema Inteligente de Controle de Semáforos em Tempo Real”, onde segundo Artur Neto, seria possível o motorista pegar vários sinais verdes abertos. A Secretaria Municipal de Comunicação (Semcom) informou que “a expectativa é de que a implantação seja iniciada ainda este ano”.

O “Portal da Família”, que possibilitaria que os pais tivessem acesso a notas, frequência, trabalhos e até mesmo a matrícula do filho, também não saiu do papel. A Semed afirma que está sendo realizado estudo via Prodam, para a construção do “Portal do Aluno”, que deve ser finalizado nos primeiros meses deste ano.

Análise de cientista político

Segundo análise do cientista político e advogado Carlos Santiago, o prefeito busca em adversários uma justificativa para a falta de capacidade dele em gerir. “O prefeito de Manaus (Artur Neto) fez o que a geração dele de políticos fez - prometeu bastante e não fez quase nada. Ele sempre buscou adversários para justificar a sua falta de capacidade em ser gestor. Se aliou a Gilberto Mestrinho, depois brigou. Se aliou ao Amazonino, depois brigou”, disse.

“Depois todos os problemas da nação, da vida dele, eram culpa do Lula, depois a culpa era da Dilma, depois colocou a culpa no José Melo e até agora não conseguiu  colocar culpa no Amazonino, porque ele não dá a menor bola para o Artur

“O cidadão sente o desserviço que essa administração tem oferecido, a ponto de hoje o Artur Neto ser colocado em setores de pesquisas como o 4° pior prefeito das capitais brasileiras. Do ponto de vista concreto, você não vê nada grande da administração dele, não vai ver grandes obras, grandes feitos de gestão pública, da mobilidade também quase nada, na área de educação não há nada marcante, da ética também, até porque existe uma relação familiar dentro da administração pública. O que ficou foram só promessas”.

Na segurança, o prefeito Artur Neto disse aos eleitores que construiria paradas seguras e inteligentes - o que até agora não foi feito. Veja abaixo, uma lista das promessas que não foram cumpridas por Artur Neto.

Lista de promessas não cumpridas

- Construir Estação Hidroviária da Marina do Davi, beneficiando comunidades do entorno;

- Criar até sete terminais de integração e quatro estações intermediárias, e um corredor leste-sul;

- Interligar a Zona Norte ao Centro por meio de uma nova via, a ser construída ao longo dos igarapés dos Franceses e Cachoeira Grande;

- Implantar a Zona Azul, onde seria ampliada a oferta de vagas de estacionamento público em áreas de elevada concentração de veículos;

- Erradicar o analfabetismo na população idosa;

- Clínica da Família, onde seriam criados centros de saúde em áreas estratégicas, ampliando a cobertura de atenção primária, com atendimento humanizado e equipe multidisciplinar;

- Criar o “Cartão da Família Manauara”, que reuniria informações do usuário, interligando a marcação de consultas e exames, além da distribuição de medicamentos;

- Criar o Balneário da Ponta Branca, localizado na Zona Leste de Manaus;

- Manaus Panorâmica, onde seriam construídos cinco terminais de embarque turísticos na orla de Manaus: Tupé, Ponta Negra, Centro, Encontro das Águas e Remanso do Boto;

- Destinar 20% das vagas de estágio na prefeitura para idosos;

- Criar um novo aterro sanitário;

- Banco da Juventude, onde seria ofertada linha de crédito para a juventude, com critérios técnicos e análise do plano de negócios;

- Restaurar prédios da Biblioteca Municipal João Pantoja Evangelista, da Câmara Municipal, do Cabaré Chinelo e do Museu do Homem do Norte.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.