Sexta-feira, 24 de Maio de 2019
NEGÓCIOS

Crescendo nos 70 anos de A CRÍTICA, empresas do AM miram futuro promissor

Líderes de empreendimentos que conquistaram mercado nas últimas décadas falam sobre relação com o jornal, marketing e crescimento



tv-lar_1082E462-B752-48AC-B80A-1B8CB6321BEE.JPG
Antonio Azevedo segue o legado do pai na TVLar. Foto: Junio Matos
21/04/2019 às 07:00

Dos anúncios feitos à tinta e papel de jornal até a convergência das mídias: a chegada de uma nova ordem global culminou uma série de acontecimentos que marcaram a sociedade. A tecnologia modernizou não só as relações, como também a maneira de fazer comércio.  Empresários de destaque na cena amazônica contam que ao longo dos anos e das diversas atualizações do mundo conectado, o fator decisivo para permanecer e se expandir no mercado durante décadas é se adaptar sem perder a essência e o foco no bem-estar do cliente.

No início da década de 40, os irmãos Benchimol trouxeram para Manaus um novo empreendimento. A Bemol surgiu primeiramente com a proposta de vender medicamentos. Ao longo dos anos, passou por algumas transformações até se firmar no ramo de eletrodomésticos. Com quase 77 anos de história, a rede emprega mais de dois mil colaboradores e está presente em 21 lojas na Região Norte. Até o fim do ano outras quatro filiais devem ser inauguradas.

A relação com o cliente deve ser construída todos os dias. E investir em novas tecnologias para isso é fundamental, desde que as primeiras mídias como o jornal impresso não sejam esquecidas, conforme destaca o diretor-presidente da Bemol, Denis Benchimol Minev.

“O coração do negócio de varejo é manter uma relação de confiança com o cliente. Buscamos melhorar ao longo dos anos, aliando-nos à tecnologia, agilizando nossos procedimentos. Nesse aspecto, queremos fortalecer esses laços, seja por meio das redes sociais, de aplicativos, como também por meio da mídia impressa, que tem nos ajudado a escrever essa história há muitos e muitos anos”, diz.

Líder em gás

A empresa possui diversas áreas de atuação, como lojas de departamento, supermercados e exportação de produtos naturais da Região. Um dos segmentos de maior notoriedade é a distribuição do gás de cozinha por meio da Fogás, também pertencente aos irmãos Benchimol.

Fundada em 1956, a Fogás é uma das empresas líderes em nível nacional. O presidente da empresa, Jaime Benchimol, conta que ao longo desses 63 anos investir na satisfação do público tem sido fundamental, fazendo isso em diferentes plataformas.

“Nosso foco é prestar bons serviços aos clientes, com segurança e responsabilidade. Temos buscado nos atualizar à era digital. As mídias eletrônicas avançaram muito, mas acredito que por muitos anos haverá demanda por uma mídia impressa de qualidade. O jornal impresso oferece uma impressão visual e conforto na leitura. Seu papel é significativo na formação da marca das empresas e na comunicação”, conta.

Legado

Inovar para crescer: essa é a proposta da  TV Lar, criada em 1964 pelo saudoso José Azevedo, três anos antes do advento da Zona Franca de Manaus. A importadora que começou do conserto de alguns equipamentos como rádio e eletrola tornou-se um dos maiores players do ramo de eletrodomésticos e eletroeletrônicos. Com um quadro de mil colaboradores diretos e 46 lojas situadas no Amazonas e em Roraima, a empresa deve alcançar a marca de 50 lojas até o fim do ano, projetando crescimento de até 20%.

O presidente da TV Lar, Antonio Azevedo acredita que o segredo para uma empresa se manter firme por tantos anos no mercado é preservar os valores e a proximidade com o cliente.

“Cultivamos o respeito, a espiritualidade, a paixão em servir, a lealdade, o profissionalismo, a simplicidade, a perseverança e a visão empreendedora. Devemos usar todos os mecanismos para executar a missão, das redes sociais até o jornalismo tradicional. A janela de oportunidade é agora”, resume.

Tradição

Os anos 80, considerados historicamente como a ‘década perdida’ devido à crise econômica do período serviram de inspiração para novos empreendedores. A família Franco de Sá encontrou na estagnação uma oportunidade de recomeço. Afonso Franco de Sá inaugurou, há 38 anos um empreendimento no ramo da alimentação.


Frango Xadrez está há 38 anos no mercado. Foto: Jair Araújo.

O Frango Xadrez recebeu esse nome porque um dos filhos de Afonso era apaixonado por xadrez e acreditava que uma das peças do jogo, a torre, era parecida com um frango, e disse que isso traria sorte para o negócio. Bons ventos que sopram há quatro gerações, conta a proprietária, Larissa Franco de Sá.

“Na época não existia nada de comida para fora. As pessoas cozinhavam em casa. Esse foi o diferencial. Fazíamos encartes e colocávamos dentro do jornal. Depois começamos a anunciar no jornal, e assim o público foi nos conhecendo. Não pretendemos abrir outras lojas, pois esse lugar tem algo especial. Queremos continuar por mais trinta,  quarenta e quantos anos vierem, sem perder a essência”, conclui.

*Por Rebeca Beatriz

News portal1 841523c7 f273 4620 9850 2a115840b1c3
Jornalismo com credibilidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.