Publicidade
Manaus
SINISTRO

Queda de energia pode ter provocado incêndio que matou criança no Nova Floresta

Criança ficou presa na casa e veio a óbito no local. Segundo moradores, queda de energia teria provocado curto circuito. Causas do incêndio devem ser investigadas pela polícia 08/02/2017 às 16:35 - Atualizado em 25/03/2017 às 15:47
Show whatsapp image 2017 02 08 at 16.27.55
Menina de 7 anos morreu durante incêndio (Foto: Gilson Mello)
Rafael Seixas Manaus (AM)

Uma criança de 7 anos de idade morreu em um incêndio na tarde desta quarta-feira (6). Segundo o Corpo de Bombeiros, Samira Santos Martins veio a óbito após o fogo consumir a parte de trás da residência onde morava, localizada na rua Rubelita, bairro Tancredo Neves, na Zona Leste de Manaus. As causas do incêndio vão ser apuradas pela Polícia Civil.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, o caso ocorreu por volta das 14h40. O sargento Galeno do CBMAM informou que a criança estava sozinha no momento do sinistro enquanto a avó, Maria José, 42, dava banho em outro neto, de 5 anos, na área externa da casa. “A casa que queimou ficava nos fundos. Quando a avó retornou com a criança, a residência já estava pegando fogo”, disse. 

Moradores contaram que antes do incêndio, a área teria sido afetada por uma queda de energia elétrica. O Corpo de Bombeiros, Samira teria ficado presa em um canto da casa durante as chamas, construída em uma parte de alvenaria e outra de madeira. “Uma parte do teto desabou quando arrombamos a porta e ficou impossível andar ali”, disse o soldado Paulo Artur, da Polícia Civil.

Abalada, a mãe da criança, Cleomara Martins, disse que estava no trabalho no momento que soube da notícia do incêndio. "Vim correndo quando fiquei sabendo", declarou ela, acrescentando que o fogo pode ter iniciado em uma tomada. “Deve ter sido os fios mesmo, porque lá em casa só tinha uma tomada para ligar as coisas”.

O tempo de resposta do Corpo de Bombeiros na ocorrência foi de 6 minutos. O corpo da criança foi removido pelo Instituto Médico Legal (IML) e o caso deve ser investigado pela Polícia Militar. 

De acordo com técnicos da Defesa Civil, os restos dos escombros precisarão ser demolidos. A Secretaria Municipal da Mulher, Assistência Social e Direitos Humanos (Semmasdh) foi ao local para prestar assistência à família. 

Familiares e moradores devem ser ouvidos pela Polícia Civil. “Vamos questionar o motivo da criança estar sozinha. Com o laudo da perícia poderemos chegar conclusão se a criança estava trancada ou não e responsabilizar os causadores ou responsáveis”, disse o delegado Aislan Marques, do 9º Distrito Integrado de Polícia (DIP). 

Publicidade
Publicidade