Publicidade
Manaus
ALERTA

Criança de dois anos morre de meningite e Semsa faz investigação epidemiológica

Bactéria que causou a morte é considerada controlada por conta da vacina, oferecida na rede pública; colegas de sala do menino receberam medicação preventiva 11/11/2016 às 16:37 - Atualizado em 11/11/2016 às 17:32
Show whatsapp image 2016 11 11 at 16.16.55
Vigilância em Saúde esteve na escola hoje e reuniu com os pais, para tranquilizar a todos e evitar pânico (Foto: Antônio Lima)
Kelly Melo Manaus (AM)

Um menino de 2 anos e 9 meses morreu na manhã desta sexta-feira, com suspeita de meningite. A criança estava internada em um hospital particular, na zona Centro - Sul. 

De acordo com a Fundação de Vigilância em Saúde ( FVS), a criança foi infectada pela bactéria Haemophilus Influenzae (HiB), que é um tipo comum em crianças com menos de cinco anos, mas que é considerada controlada por conta da vacina, oferecida pela rede pública. 

O diretor-presidente da FVS, Bernardino Albuquerque, afirmou que o órgão foi notificado no início da tarde desta sexta, e que  Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) vai cuidar do caso. "Essa bactéria é comum em crianças, mas tem tido redução devido às campanhas de vacinação. A vacina é ofertada na rede pública e por isso casos como esse têm se tornado cada vez mais raros", explicou. 

Em nota, a Semsa afirmou que "deu início à investigação epidemiológica do caso e às medidas de bloqueio". Na nota,a Semsa informou ainda que palestra com os pais das demais crianças, além de ação de quimioprofilaxia nos alunos e na professora da sala de aula da criança. Nesse sábado, 12, será realizada a quimioprofilaxia também na família. A quimioprofilaxia consiste em medicar as pessoas que tiveram contato com a criança de maneira preventiva, para evitar que haja alguma manifestação da doença em caso de um eventual contágio.  As atividades seguem os protocolos de conduta preconizados pelo Guia de Vigilância do Ministério da Saúde.

A diretora da escola onde o menino estudava, Swely Imbiriba, informou que técnicos da vigilância em saúde informaram que as aulas podem continuar normalmente. "Que bom que eles estiveram aqui e fizeram a reunião com todos os pais. Deram o maior suporte e disseram que as aulas podem continuar normalmente", explicou ela, afirmando que a criança foi às aulas até a última sexta-feira e não apresentava nenhum problema de saúde.  "Ele saiu sexta-feira normal, brincando, se alimentou direitinho. Aí depois ele faltou alguns dias e como é do nosso procedimento, ligamos para os pais. A mãe retornou no whatsapp e disse que ele estava com febre, mas estava sendo cuidado e que quando melhorasse voltaria às aulas. Aí nos despreocupamos", disse a diretora. 

Ela também explicou que o menino não comparecia as aulas há uma semana, mas que tinha um histórico saudável.

Publicidade
Publicidade