Terça-feira, 15 de Junho de 2021
MENOS DINHEIRO

David Almeida afirma que recebeu prefeitura com R$ 100 milhões a menos de arrecadação

Prefeito destacou que vai procurar “entes credores” para renegociar o prazo das dívidas



David_Almeida_D7695257-7421-4F92-B731-00423C464AB9.jpg Foto: Divulgação
08/02/2021 às 14:16

Em mensagem anual lida na Câmara Municipal de Manaus (CMM), na manhã desta segunda-feira (8), durante a abertura do ano legislativo da 18° legislatura, o prefeito de Manaus, David Almeida (Avante), disse que recebeu a Prefeitura de Manaus com arrecadação “R$ 100 milhões menor” comparada com o ano de 2020 e que vai procurar “entes credores” para renegociar o prazo das dívidas.

"Vamos ter menos recursos, a receita diminuiu e a despesa aumentou, porque a dívida vai estar sendo cobrada. E a dívida é da Prefeitura, vamos honrar as dívidas da Prefeitura. Vou procurar esses entes credores para alongar o prazo, para diminuir a parcela, a prestação, para que não possamos deixar de pagar o auxílio manauara”, afirmou.



Segundo o prefeito, para dar continuidade aos investimentos municipais será necessário acessar recursos de “outras fontes” e “receitas”. Almeida adiantou que hoje à noite vai à Brasília “acessar recursos de ministérios”. 

Incomodado com o termo “variante amazonense” para se referir à mutação do novo coronavírus, mais predominante na cidade e no estado, David Almeida chegou a sugerir, sem base, que a Covid-19 foi “criada em Wuhan”. Ao mesmo tempo, o chefe do Executivo Municipal defendeu que as vacinas são a única solução para a “crise da Covid-19”. 

Almeida destacou que mesmo a cidade tendo registrado índice de sepultamentos maior que os registrados no primeiro pico da pandemia, entre abril e maio do ano passado, “nenhum manauara foi sepultado em vala comum”. 

“Não faltou atendimento em nossas unidades básicas, não faltou oxigênio no nosso Samu, na nossa maternidade. Aos nossos idosos na Fundação Doutor Thomas, que se utiliza de oxigênio”, registrou.

Prometeu enviar uma agenda de reformas aos vereadores, mas sem estipular um prazo para o envio. Falou em armar a Guarda Municipal de Manaus (GMM), uma promessa de campanha do agora prefeito. Ao falar em armar a guarda, o David registrou que Manaus e outras três capitais não “utilizam armamento na Guarda Municipal”. 

“Não podemos mais nos omitir com relação a isso. Essa vai ser uma das minhas pautas na minha reunião de amanhã quando vou à Brasília para acessar recursos do esporte”, enfatizou.

David Almeida chamou o ‘Auxílio Manauara’, aprovado em sessão extraordinária de forma unânime pelos vereadores, no último dia 26, de “maior programa de transferência de renda deste município”. “Serão R$ 96 milhões, 12 parcelas de R$ 200 para 40 mil famílias”, pontuou.

O prefeito avisou que “muito provavelmente” até esta quarta-feira (10) o benefício vai começar a ser pago. A previsão, de acordo com ele, era começar a pagar já nesta segunda-feira (8), mas por um problema com "correspondente bancário” a data foi revista. 

Assim como o Governador Wilson Lima (PSC), na abertura dos trabalhos da Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE-AM), na semana passada, Almeida também evitou criticar o governo do presidente Jair Bolsonaro pela falta de planejamento na crise da falta de oxigênio no Estado, preferiu falar do auxílio emergencial e confessou estar "otimista"pela concessão do benefício. 

CMM promete parceria

Antes de encerrar a sessão híbrida de leitura da mensagem governamental da Prefeitura Municipal de Manaus (PMM), o presidente da CMM, vereador David Reis, filho do secretário de Limpeza Pública (Semulsp), Sabbá Reis, do mesmo partido de Almeida, declarou que é “latente” o compromisso da “totalidade desta Casa” para resolver os problemas da cidade.

“Digo isso em nome da Câmara Municipal de Manaus, porque já posso sentir na essência de cada membro desta Casa, justamente este compromisso e esse comprometimento”, finalizou.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.