Publicidade
Manaus
PROMESSA

David Almeida garante que fará promoções de PMs e escalonamento de policiais civis

O agora ex-governador José Melo havia prometido os reajustes para o dia 30 de junho, e David Almeida garantiu, em discurso, que irá manter o compromisso 09/05/2017 às 10:21 - Atualizado em 09/05/2017 às 10:25
Show pms
Promoção de PMs era desejo antigo da categoria (Foto: Divulgação / PM)
acritica.com Manaus (AM)

O governador em exercício David Almeida confirmou que irá manter as promoções de policiais militares e escalonamento dos policiais civis que haviam sido prometidos para junho pelo ex-governador José Melo.

A garantia de David Almeida foi dada durante um aparte feito pela deputada estadual Alessandra Campêlo (PMDB), que ao questioná-la sobre a situação dos policiais civis e militares, respondeu prontamente: "serão feitas, deputada".

No dia 2 de maio, o então governador José Melo, cassado dois dias depois por compra de votos,  enviou nota à imprensa garantindo que as promoções não somente para as polícias Civil e Militar, mas também aos servidores da Universidade do Estado do Amazonas (UEA) e da Procuradoria Geral do Estado (PGE).

Na ocasião, o Governo do Estado afirmou que as promoções e reajustes estavam sendo garantidas com a entrada em caixa dos recursos do Programa Federal de Repatriação. Parte desses recursos, que está sendo dividida com os Estados, via Fundo de Participação do Estado (FPE), começou a entrar em caixa, de forma parcelada (10, 20 e 30 de cada mês), a partir do dia 10 de abril deste ano, sendo que a última parcela sai dia 10 de agosto.

"O Ultimo repasse da repatriação será creditado em 10 de agosto. No entanto, ao longo desses 120 dias, alguns recursos entrarão. Então, nós tomamos a decisão de no dia 30 de junho já assinar os atos das promoções dos policiais militares, bem como os atos do reescalonamento da Policia Civil, UEA e PGE, cumprindo o compromisso que a gente tem com as classes. Dessa forma, a gente cumpre aquilo que tem que cumprir com nossos servidores, mas com pés no chão. Absolutamente com a segurança de que vamos baixar os atos e, logo em seguida, podemos colocar na folha o resultado daquele ato que foi baixado”, disse o então governador, na ocasião.

Publicidade
Publicidade