Publicidade
Manaus
DERROTADOS NA ELEIÇÃO

De radialista a pastor, a vida dos deputados do AM sem 'mandato' em 2019

Dez de um total de 24 deputados estaduais voltam às antigas profissões no próximo ano, 12 se reelegeram, e dois vão para a Câmara 23/12/2018 às 20:07 - Atualizado em 24/12/2018 às 08:02
Show pol ticos b41b4661 1559 47ba 97f2 d7fd261b70ed
Foto: Divulgação
Geizyara Brandão Manaus (AM)

Dez deputados vão ‘dar adeus’ à Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (ALE-AM) com o término do mandato e sem terem logrado êxito nas eleições deste ano. Os parlamentares já traçam planos pessoais e profissionais para 2019.

O presidente da Casa Legislativa, David Almeida (PSB), que alcançou uma votação expressiva na disputa pelo cargo de governador, pretende se dedicar aos estudos e voltar a apresentar um programa de rádio.

O deputado, que estava no terceiro mandato consecutivo, disse que vai retomar os trabalhos desenvolvidos de voluntariado  na igreja e planeja empreender. “Estou trabalhando uma franquia de compra e venda de carros novos e seminovos é do que eu vou viver nos próximos dois anos e do rádio”, afirmou.

Questionado sobre se candidatar a outros cargos, Almeida destaca que se atém, no momento, às questões pessoais. “Já dei 12 anos de colaboração e o povo do Amazonas disse para eu esperar, então eu vou atender ao pedido do povo. Vou esperar, me qualificar, me preparar, estudar ainda mais para servir o povo do Amazonas”, disse.

Atuando no terceiro mandato como deputado, Carlos Alberto (PRB) não disputou a reeleição e é suplente do senador diplomado Plínio Valério (PSDB). “Até então, eu sou o pastor da igreja, estou à disposição da igreja, depois que nós chegarmos ao final desse mandato, com certeza, teremos uma conversa, a igreja vai dar uma direção. Temos que aguardar”, ponderou.

Já o parlamentar Mário Bastos (PSD), que ocupa a vaga deixada por Bosco Saraiva (SD), ressaltou que voltará ao cargo no Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

“Nesse momento a minha intenção é voltar ao meu órgão de origem e depois pensar o que eu posso fazer no futuro. Como deputado eu não posso dizer que eu fiz o que eu devia fazer. Então eu acho que eu penso no futuro que em 2022, se Deus me permitir estar com saúde e com vida, para ser candidato em 2022 a deputado”, contou Bastos.

Após 20 anos atuando como parlamentar, o deputado Francisco Souza (PODE) revelou que terá um ano ‘sabático’ com o fim do mandato, já que conseguiu se aposentar pelo cargo que ocupou na Caixa Econômica Federal (CEF), em que trabalhou como gerente-geral de 11 agências, sendo seis no interior e cinco na capital, antes de entrar para o ramo político.

“Meus planos são terminar o mandato aqui, descansar um pouco e viver o momento, a aposentadoria, viver um pouco a família e, talvez, quem sabe, no ramo empresarial. Já tenho convites para consultorias”, comentou Souza, destacando que recusou, por enquanto, convite para concorrer à prefeitura de Iranduba.

Blogo: Wanderley Dallas, deputado estadual pelo SD

“Vou voltar  a fazer meu programa de rádio  que eu sempre fiz e continuar na atividade parlamentar. Fiquei como primeiro suplente da maior coligação, que fez o maior número de deputados, da coligação que fez a deputada mais votada e como fui votado em 100% do interior do Estado, tanto na eleição retrasada como na eleição passada, tenho obrigação de lutar pelo povo do Amazonas, da capital e do interior, fazer meu trabalho, andando pelo interior e também fazendo meu programa de rádio, ser radialista novamente e visitar as comunidades do interior, porque me sinto devedor a esse povo que me deu uma votação como primeiro suplente da maior coligação.

Sou suplente de seis deputados. De repente essa pessoa pode se eleger prefeito, assumir secretaria, nós vamos lutar para que a gente possa recompensar os votos que eu recebi. A vida política continua normalmente. Meu negócio é o parlamento mesmo, não tenho o mínimo interesse de ser candidato a prefeito, posso apoiar alguns colegas que estão pensando”.

Seis deputados federais se despendem

A renovação na Câmara dos Deputados, em Brasília, chegou a 75%, uma vez que apenas dois dos atuais deputados federais continuam na próxima legislatura e os demais buscam novos rumos.

O deputado Pauderney Avelino (DEM) informou que o plano é voltar a exercer a profissão de engenheiro civil e enfatizou que está “à disposição da bancada, do governo estadual e federal para ajudar nas pautas do Amazonas e Zona Franca”.

Já a deputada Conceição Sampaio (PSDB) contou que continua com a apresentação do programa “Fala Amazonas” ao final do mandato na Câmara.

“Foi uma legislação muito difícil, com temas desafiadores, uma turbulência atrás da outra”, apontou a parlamentar.

O deputado federal Arthur Bisneto (PSDB), filho do prefeito Artur Neto (PSDB), foi nomeado para comandar a Casa Civil ainda no ano passado. Após disputar as eleições como candidato a vice-governador na chapa de Omar Aziz (PSD) voltou ao cargo na pasta municipal.

Os deputados federais Alfredo Nascimento (PR) e Hissa Abrahão (PDT) tentaram uma vaga para  o Senado Federal e acabaram sem mandato com 569.766 e 282.736 votos, respectivamente.

No Senado, a disputa foi pela reeleição de Eduardo Braga e Vanessa Grazziotin (PCdoB), no qual apenas Braga logrou êxito. 

Grazziotin exerceu seu primeiro mandato como vereadora em 1989, sendo reeleita duas vezes, teve três mandatos como deputada federal e uma como senadora.

Em números

R$ 25,3 mil – É o valor do salário mensal de cada deputado estadual. Também tinham direito a R$ 23,1 mil pelo Cotão e R$ 72 mil de verba de gabinete.

R$ 33,7 mil – É o salário dos deputados federais, que também recebem auxílio-moradia de R$ 4,2 mil, verba de gabinete de R$ 101,9 mil e Cotão de R$ 30,7 mil a R$ 45,6 mil.

Publicidade
Publicidade