Terça-feira, 23 de Julho de 2019
Manaus

Decisão sobre preferência de compra da Cigás sai nesta quarta-feira (18)

Sócios privados da Cigás dirão se compram 17% das cotas do Governo do Amazonas que já mostrou interesse em sair do negócio



1.jpg Lino Chíxaro defende a venda das cotas para capitalizar ainda mais a Cigás
18/09/2013 às 10:07

O documento sobre o processo de privatização da Companhia de Gás do Amazonas (Cigás), que ainda possui 17% de cota do Governo do Amazonas, foi entregue ao consórcio que irá discutir o assunto em uma audiência pública que ocorrerá no dia 30 deste mês.

Segundo o presidente da Cigás, Lino Chíxaro, o processo traz uma radiografia sobre a empresa, avaliação patrimonial, avaliação de mercado, possibilidades de expansão do mercado, considerando as perspectivas do gás na região e avaliação de como a empresa deve caminhar daqui pra frente.

O presidente da comissão de privatização da companhia, o secretário de Governo Raul Zaidan não quis revelar os valores das ações, alegando que a informação é direito de preferência dos sociais majoritários da Cigás. Mas sabe-se que o patrimônio líquido da mesma não ultrapassa R$ 100 milhões.

Raul Zaidan disse que nesta quarta-feira (18) haverá reunião com sócios privados que dirão a preferência para se comprar ações do Estado. “Se manifestarem negativamente, vamos entrar no processo de audiência, edital de licitação e leilão das ações”, informou.

O Governo do Amazonas já decidiu o interesse de sair do negócio. O dinheiro da venda das ações será investido, de acordo com o governador Omar Aziz, nas obras da Cidade Universitária, em Iranduba (a 27 quilômetros de Manaus). “É um movimento mundial. Não é atividade com o Estado deva exercer. É uma empresa que tem que visar lucro, assim como ocorreu com a telecomunicação e a energia. O dinheiro apurado nisso já será investido na cidade universitária”, informou Zaidan.

A liquidez da Cigás ainda é pouco expressiva pelas promessas que foram criadas em torno da construção do gasoduto Coari-Manaus, em 2004. Atualmente a companhia recebe 5,5 milhões de metros cúbicos de gás/dia pela Petrobras, sendo sendo de 5 milhões são usados para abastecer as termelétricas da cidade e 500 mil para as demais atividades como nove empresas do distrito industrial, para o Shopping Ponta Negra e para alguns postos de combustível. A próxima meta da companhia, disse Chíxaro, é expandir o as termelétricas a gás para os municípios de Codajás, Anamã, Anori e Beruri.

Seminário

A Câmara Municipal de Manaus (CMM) realiza nesta quinta-feira (19), às 10h, o Seminário sobre o Gás Natural. A iniciativa do vereador Mário Frota terá participação do presidente da Cigás e dos diretores da Companhia de Gás de Minas Gerais, referência no negócio. “O problema em torno do gás é que Manaus que foi enganada; que teria a tarifa mais barata; que o cidadão com carro poderia usar migrar para o gás. Cinco anos depois, somente uns 300 taxis que usam gás. E Manaus tem frota de 750 mil veículos”, criticou Frota.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.