TURISMO

Dispensa de visto deve triplicar turistas no Amazonas, diz Amazonastur

Decreto do presidente Jair Bolsonaro desobriga apresentação de visto para turistas dos EUA, Japão, Canadá e Austrália. Americanos correspondem a 81% dos turistas que visitaram o Estado em 2018

OSWALDO NETO
26/03/2019 às 00:57.
Atualizado em 11/03/2022 às 11:05

(Foto: Arquivo/AC)

Com decreto que dispensa o visto para turistas de quatro países a entrarem no Brasil, a Empresa Estadual de Turismo do Amazonas (Amazonastur) acredita que o número de estrangeiros que buscam o Amazonas como destino deve triplicar até 2020. Os americanos foram o maior público em 2018 e correspondem a 81% dos turistas que visitaram o Estado, seguidos dos japoneses, canadenses e australianos.

As novas regras devem entrar em vigor a partir de 17 de junho e valem para os quatro países: Estados Unidos, Japão, Canadá e Austrália. A dispensa de visto é válida para entradas no Brasil que tenham fins turísticos, de negócios, esportivos ou artísticos, somente para cidadãos que não tenham a intenção de estabelecer residência no País.

A diretora-presidente da Amazonastur, Roselene Medeiros, argumenta que a medida, do ponto de vista turístico, é um motivo de comemoração. Segundo ela, a dispensa do visto deve aumentar a procura principalmente de quem vem dos Estados Unidos. No ano passado, dados do órgão mostram que 72.834 dos turistas eram do país.

“O turista americano gosta do que o Amazonas tem a oferecer, que é esse turismo de selva, natureza. Existe outra peculiaridade que é o fato de que se o turista de lá decide vir para o Amazonas e encontra uma dificuldade, ele já para pra repensar. A tendência é ele desistir, mas com a liberação do visto é muito mais fácil”, explicou a presidente.

Ainda na avaliação dela, não há como enxergar os prejuízos do decreto para o turismo. “Estive no Fórum PANROTAS (evento que reúne líderes de turismo) e todo o ‘trade’ do País está muito otimista com a liberação. Turisticamente só enxergo coisas boas, por isso sou a favor de que o visto seja liberado”, comentou.

Outros países

Depois dos Estados Unidos, os turistas do Japão impulsionaram o turismo no Amazonas em 2018. Eles foram 8.080 (9%), seguidos de 4.067 do Canadá (5%) e 3.783 australianos (5%). Os dados são da Amazonastur.

“O turista japonês é super tranquilo. Eles gostam de sol e praia, então são diferentes dos americanos. É ótimo pra gente. De qualquer forma, é possível dizer que a liberação do visto dobre ou triplique a quantidade desses turistas no Amazonas”, declarou.

Medidas

Rosilene diz ainda ser cedo calcular o aumento desses turistas no Amazonas. Ela estipula um prazo de um ano e meio para medir a eficácia do decreto do presidente Jair Bolsonaro (PSL).

“Vamos sentar com a American Airlines e discutir. Temos a proposta de nos próximos seis meses fazer um vídeo e distribuir em voos da companhia americana. Também vamos colocar anúncios nas revistas de bordo da Copa Airlines para fortalecer a imagem do Amazonas nessa concorrência”, explicou.

Decreto

As novas regras, que entram em vigor a partir de 17 de junho, se aplicam a quem permanecer em território brasileiro por até 90 dias, prorrogáveis pelo mesmo período, desde que não ultrapassem 180 dias a cada 12 meses.

Atualmente, os cidadãos dos quatro países contemplados pela medida utilizam um sistema eletrônico para a obtenção de vistos (E-visa) para entrar no Brasil. Por meio desse programa, os turistas podem fazer a solicitação pela internet. O tempo de análise e entrega do documento dura três dias. No procedimento normal, o prazo chegava a 40 dias.

A expectativa do governo federal é que o incremento na entrada de turistas vindos ao Brasil seja de 217,8 mil pessoas, caso todos os pedidos de visto feitos em 2018 sejam convertidos em viagens.

Assuntos
Compartilhar
Sobre o Portal A Crítica
No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.
© Copyright 2022Portal A Crítica.Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por
Distribuído por