Sexta-feira, 07 de Agosto de 2020
OPERAÇÃO

Defesa de secretária de Saúde vai à Justiça para ter acesso a autos do processo

Advogada afirmou ainda que a não-prorrogação da prisão de Simone Papaiz é uma prova de equívocos: 'Não houve uma prorrogação do juízo porque a prisão era um erro', sustentou



show_simone-susam-1-1_BE2713FF-6730-4185-B80C-AE5978F3CA61.jpg
05/07/2020 às 21:21

Catharina Estrela, advogada de defesa da secretária estadual de Saúde, Simone Papaiz informou ao A Crítica,  na noite deste domingo (05) que comunicará à Justiça a falta de acesso a informações dos autos que possam estruturar sua defesa.

Sobre a liberação da secretária, a advogada disse se tratar de uma comprovação de que houve equívocos no processo. "Não houve uma prorrogação do juízo porque a prisão era um erro", afirmou. 



Simone Papaiz saiu da Centro de Detenção Provisória Feminino (CDPF) à meia-noite de sábado para domingo. A secretária estava presa na unidade desde terça-feira (30), quando a PF deflagrou a Operação Sangria, que também tem como alvo o governador Wilson Lima.

Quatro das sete pessoas detidas na operação Sangria tiveram conversão da prisão temporária para domiciliar pelo prazo de cinco dias.

Fábio José Antunes Passos, João Paulo Marques dos Santos, Alcineide Figueiredo Pinheiro e Luciane Zuffo Vargas de Andrade, que foram liberados no final da tarde deste sábado (04).

Outras três pessoas foram colocadas em liberdade com o fim do prazo da prisão temporária. São elas: Perseverando da Trindade Garcia Filho, Cristiano da Silva Cordeiro e Simone Araujo de Oliveira Papaiz, liberados a partir de meia-noite.

Repórter de A Crítica

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.