Publicidade
Manaus
NOVA CASA

Delegacia desativada na Raiz é restaurada para abrigar projetos sociais

Neste sábado (18), mutirão mobilizou 40 pessoas, incluindo a participação do 7º Comando Aéreo Regional e o apoio do Corpo de Bombeiros 18/03/2017 às 12:24 - Atualizado em 18/03/2017 às 14:45
Show whatsapp image 2017 03 18 at 10.31.06
O local estava desativado há 10 anos (Fotos: Clóvis Miranda)
Camila Pereira Manaus (AM)

De uma delegacia desativada para um espaço que abrigará projetos sociais. Essa é a intenção de um grupo de associações que se uniu para restaurar o antigo prédio da Delegacia Especializada em Roubos e Furtos, que funcionava no bairro Raiz. A previsão é que o espaço comece a funcionar dentro de um mês. 

Durante este sábado (18), um mutirão mobilizou 40 pessoas, incluindo a participação do 7º Comando Aéreo Regional e o apoio do Corpo de Bombeiros. 

O local deve abrigar as associações de Cultura do Estado do Amazonas (Aceam), das Pessoas com Fissura Labiopalatinas do Estado do Amazonas (Apfam) e de Investigadores, Escrivães, Desenvolvimento Sociocultural e Apoio a Pessoa com Deficiência (Assinepol-AM).

O local foi desativado há mais de 10 anos e permanecia fechado. O presidente da Assinepol, o investigador Luiz Junqueira, explicou que o espaço foi pleiteado há um ano para o Governo do Estado e cedido para associação, com a finalidade de acolher projetos de inclusão social. 

“Aqui é uma região muito carente e incidente em envolvimento com drogas. Iremos oferecer oficinas de música, pintura, aulas de artes marciais, entre outros serviços. Será um espaço aberto para a comunidade”, afirmou Junqueira que está à frente desta ação. “Temos certeza, que melhor que funcionar o prédio de uma delegacia, será reunir estas associações que vão trabalhar na reintegração da comunidade”.

As atividades que serão desenvolvidas no local serão gratuitas. Entre elas estão, oficina de argila, desenho, grafite e até aulas de dança. “Tudo será ofertado de forma voluntária. É importante para nós também termos parceiros para estar desenvolvendo para que artistas e outros produtores culturais possam desenvolver suas atividades”.

Para a assistente social da Apfam, Orilene Feitoza, ter um espaço para abrigar a associação é um grande avanço. “Trabalhamos com o suporte para famílias da capital e do interior que tenham alguém com fissura labiopalatina. Trocamos experiências. Não temos sede, pacientes procuram a minha casa. E, então, teremos uma sede para receber essas pessoas e prestar todo o apoio”, afirmou, acrescentando que a Apfam já possui 13 anos de existência. “Estamos aqui para ajudar”.

A iniciativa foi bem aceita pelos moradores da área. Eles afirmam que o local, que estava abandonado, era usado por usuários de drogas. “O local estava abandonado, mas com a iniciativa terá muitas atividades para a comunidade. Agora teremos mais movimentação da área. Também será bom para o comércio”, afirmou a comerciante Donatilia Brandão.

Outros mutirões devem acontecer durante os finais de semana. As associações estão aceitando doações. As pessoas interessadas em colaborar podem entrar em contato pelo telefone 98197-4413 e tratar com Luiz Junqueira.

Publicidade
Publicidade