Publicidade
Manaus
Manaus

Delegacia especializada identifica empresas que furtam água e energia em Manaus

As investigações apontam que os principais ladrões desses serviços não são os moradores das invasões, mas sim as grandes empresas que mesmo tendo recursos para pagar pelos serviços, optam  pela prática dos crimes de furto 26/10/2014 às 09:32
Show 1
Furto de energia chega a 38%
Joana Queiroz ---

Cinco inquéritos  policiais  foram instaurados nos primeiros 35 dias de funcionamento da Delegacia Especializada em Combate a Furto de Energia, Águas, Gás e Serviços de Telecomunicações  (DECFS) e mais de 20 empresas foram identificadas furtando água ou energia.  As investigações apontam que os principais  ladrões desses serviços não são os moradores das invasões, mas sim as grandes empresas que mesmo tendo recursos para pagar pelos serviços, optam  pela prática dos crimes de furto, os conhecidos “gatos” ou estelionato, segundo informou o titular da especializada Alfredo Guimarães Dabela.

Até o momento, algumas empresas estão sendo investigadas por furto de serviços, sendo os principais de energia elétrica e de água. Na manhã da última quinta-feira, o advogado de uma faculdade particular localizada na avenida Constantino Nery, Chapada, Zona Centro-Sul, foi à delegacia para transferir a data da audiência que estava marcada para sexta-feira seguinte.

O estabelecimento de ensino é uma dessas empresas que foi autuada em flagrante furtando água por meio de uma ligação clandestina. Segundo a Manaus Ambiental, que detectou a ilegalidade, o “gato” abastecia o prédio em obras da instituição. O crime foi descoberto por meio de denúncia investigada e comprovada. Conforme o delegado, o “gato”  fazia parte da cultura da população de Manaus que não o via como crime.

Processo

De acordo com Dabela, os casos de “gato” na maioria das vezes são descobertos por terceiros e estes encaminham a denúncia à delegacia por  telefone ou ainda diretamente às concessionárias. A polícia primeiramente verifica a procedência da denúncia e chama a concessionária que é quem faz a constatação do crime, que se comprovado, leva a polícia a instaurar inquérito, convocar o suspeito que será indiciado pelo crime de furto ou estelionato.

Atualmente, a polícia está tentando identificar integrantes de uma quadrilha especializada em furtar energia que está agindo em Manaus.  Eles violam os medidores e colocam dispositivos capazes de reduzir a medição. Até o momento não foi feito nenhum flagrante.

Os furtos e fraudes no sistema de energia em 2012 e 2013  deram o primeiro lugar ao estado do Amazonas nessa modalidade de crime. Enquanto a média Nacional  gira em torno de 15% o Amazonas alcançou o índice de 38% de perdas, conforme o gráfico de percentual de perdas elaborado pela Associação Brasileira dos Distribuidores de Energia Elétrica (Abradee).

Fiscalização em parceria

Na terça-feira, a Eletrobras Amazonas Energia realizou a primeira operação coordenada pela Delegacia Especializada em Roubo de Energia (Decfs),   em parceria com o Instituto de Criminalística (Incrim). A feira da Banana da Panair, frigoríficos, flutuantes, e vários outros estabelecimentos como igreja, distribuidora de bebidas, residências e outros comércios tiveram as instalações elétricas inspecionadas.

Furto de energia chega a 38%

Segundo o diretor-presidente da Eletrobrás Amazonas Energia, Radyr Gomes, em Manaus, o furto de eletricidade chega a 38%, o equivalente a mais de R$ 400 milhões em prejuízos ao ano.

Para ele, o prejuízo dos famosos “gatos” não é somente financeiro, mas também operacional, pois boa parte das quedas de energia da cidade são ocasionadas pelos desvios.

O levantamento da concessionária de energia apontou ainda que as zonas Norte e Leste são as áreas onde há maior perdas de energia. Nessas  zonas, somente em 2013, foram registradas 22 mil notificações por uso ilegal de água. Uma pesquisa realizada pela Manaus Ambiental apontou que 780 milhões de litros de água distribuídos por dia pela instituição são desperdiçados.

Publicidade
Publicidade