Publicidade
Manaus
Manaus

Delegada é flagrada dormindo em delegacia de Manaus

Delegada teria se recusado a receber acusado de tráfico preso por policiais militares da 2ª Cicom 22/10/2013 às 11:17
Show 1
Josenildes Baeta no momento em que se recusou a atender ocorrência
adriano silva ---

A delegada plantonista do 3º Distrito Integrado de Polícia (DIP), Josenildes Baeta, foi flagrada dormindo na sala de repouso da delegacia, após se recusar a receber um suposto traficante, identificado como João Bosco, preso por policiais militares da 2ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom).

Segundo informações do policial, que não quis se identificar, na madrugada de sexta para sábado, receberam a informação que um homem estaria vendendo drogas no beco da Vovó, Morro da Liberdade, Zona Sul de Manaus.

“Depois de prender o acusado, fomos ao ‘Primeiro Distrito’ e como estava movimentado, pediram para irmos ao ‘Terceiro Distrito’. Ao chegar lá, ela nem levantou para ouvir nossa versão, foi logo dizendo que não ia receber o preso”, declarou o policial.

O soldado informou também que a delegada ameaçou registra somente Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) e liberar o acusado se ele insistisse. “Ela mandou avisar que se eu insistisse, ia fazer um TCO e liberar o preso. Cheguei a atender o celular dele e era uma pessoa que estava aguardando a entrega de droga. Para evitar que ele fosse solto, voltamos ao primeiro distrito e aguardamos para ser atendidos depois que o dia amanheceu”, concluiu o policial.

Procurada pela reportagem de ACRITICA, a delegada informou que não poderia falar, mas que estará a disposição da equipe de reportagem somente hoje à tarde para esclarecer o ocorrido e adiantou que está sendo acusada de forma arbitrária.

O delegado titular do 3º DIP, Abraão Serruya, informou desconhecer a denúncia. “Não sabia nada sobre esse fato, mas precisamos ouvir a delegada também. Se um plantão está calmo e sem qualquer registro de ocorrência, nada impede que a equipe de plantão pare para descansar. Mas se surgir qualquer coisa, o atendimento precisa ser feito”, destacou o delegado.

Publicidade
Publicidade