Publicidade
Manaus
CASO

Delegado Garcez: retomada de investigação depende de novos indícios, diz MPF/AM

Órgão federal pediu arquivamento do caso devido à falta de indiciamento de possíveis autores do desaparecimento do delegado de Polícia Civil Thyago Garcez 23/06/2017 às 17:42 - Atualizado em 23/06/2017 às 17:47
Show delegado
Delegado de Polícia Civil Thyago Pereira Garcez Bastos. Foto: Divulgação
Rafael Seixas e Vinícius Leal Manaus (AM)

O Ministério Público Federal no Amazonas (MPF/AM) pediu o arquivamento do Inquérito Policial (IP) instaurado para apurar as circunstâncias do desaparecimento do delegado de Polícia Civil Thyago Pereira Garcez Bastos, ocorrido em 5 de dezembro de 2016, às margens do Rio Solimões, no município de Coari (a 369 quilômetros em linha reta de Manaus).

Por meio de nota, o órgão informou que o requerimento foi feito após a conclusão do inquérito, conduzido pela Polícia Civil, que apresentou relatório sem indiciamento de possíveis autores.  O MPF esclareceu também que, caso sejam revelados novos elementos relacionados à apuração, a investigação pode ser retomada para a elucidação do caso.

No curso das investigações realizadas não foram identificados indícios de materialidade e autoria que possam embasar eventual apresentação de ação penal por parte do MPF. Não havendo, no momento, diligências complementares a serem determinadas, o arquivamento foi requerido e será analisado pela Justiça Federal.

O IP foi encaminhado ao MPF por tratar de fato relacionado a outros já apurados pelo órgão federal. Na mesma ocasião do desaparecimento do delegado foi apreendida quase uma tonelada de drogas, incluindo cocaína e skunk.

O MPF ofereceu denúncia por tráfico de armas, que teriam sido entregues aos colombianos que dispararam contra a embarcação em que estava o delegado, e outra por tráfico de drogas e colaboração para o tráfico, contra um brasileiro que estava com esses colombianos transportando as drogas e outros dois que lhes prestaram auxílio. As ações penais seguem em tramitação na Justiça Federal, em Tefé.

Trabalho feito

A assessoria de imprensa da Polícia Civil informou, por intermédio do delegado Mauro Duarte Araújo, titular da Delegacia Interativa de Coari, que concluiu o IP sobre o caso e, a partir de agora, está sendo analisado pela Justiça Federal, depois que a Justiça Estadual de Coari declinou de apreciar o resultado das investigações.

Apesar do MPF/AM ter informado que no inquérito feito pela PC não há indiciamento de possíveis autores, o órgão do sistema de segurança pública explicou que está aguardando a decisão da Justiça Federal e que as investigações do IP tiveram como base depoimentos de testemunhas que estavam na lancha com o delegado Thyago Garcez e, inclusive, foi realizada reconstituição com a presença das pessoas que estavam com ele no momento do desaparecimento.

A reportagem entrou em contato com a esposa do delegado, Viviane Garcez, mas ela preferiu não comentar o pedido de arquivamento do caso.

Publicidade
Publicidade