Publicidade
Manaus
INVESTIGAÇÕES

Delegado suspeita que vítimas reconheceram assassino em floricultura de Manaus

Bandidos quebraram câmeras de segurança da Chácara Progresso, onde o crime ocorreu; uma das vítimas foi enforcada com a própria camisa 13/06/2018 às 17:26 - Atualizado em 13/06/2018 às 18:35
Show whatsapp image 2018 06 13 at 17.15.12  2
(Foto: Jander Robson)
acritica.com Manaus

Os assassinos do casal Maria Soliange Alves Vieira, 38,  e Kazuyssu Takana, 68, encontrados mortos na floricultura deles, no Parque das Laranjeiras, na Zona Centro-Sul de Manaus, quebraram as câmeras de segurança do estabelecimento com pauladas.

A informação é do delegado do 12º Distrito Integrado de Polícia, Jhony Clay, que afirmou ter catalogado a existência de pelo menos 12 câmeras ao redor da Chácara Progresso, que fica em frente à empresa Hileia, na rua Barão de Rio Branco.

De acordo com o delegado, há sinais de luta corporal na casa e no terreno. A suspeita dele é que um dos bandidos tenha sido reconhecido durante a ação e, por conta disso, os assassinos tenham matado Maria e Kazuyssu. "A camisa da própria vítima foi usada para amarrar o pescoço dela", afirmou o delegado, sem detalhar a que vítima se referia.

Segundo ele, a mulher não foi buscar a filha na escola e isso levantou suspeitas por parte da família. Um parente das vítimas foi ao local e encontrou o corpo de Maria Soliange. O corpo de Kazuyssu Takana estava a cerca de quinze metros do dela. A principal suspeita é de latrocínio.

Publicidade
Publicidade