Publicidade
Manaus
Manaus

Delegados dão dicas de como deixar as casas seguras nas férias

É preciso tomar alguns cuidados para evitar assaltos nas residências enquanto você, caro leitor, estiver fora da cidade 09/01/2015 às 21:55
Show 1
A delegada da 12º DIP destacou a importância de registrar um BO imediatamente caso aconteça o arrombamento da casa
Perla Soares Manaus (AM)

Janeiro é tradicionalmente conhecido como o mês das férias e muitas pessoas aproveitam a época para viajar. Contudo, é preciso tomar alguns cuidados para evitar assaltos nas residências enquanto tiver fora da cidade.

O titular da Delegacia Especializada em Roubos Furtos e Defraudações (DERFD), Orlando Amaral, faz alerta e dá dicas para quem vai viajar de férias nesse período e geralmente deixa a casa sozinha.

“O crime de arrombamento de residência é bastante comum e ocorre quando o marginal, aproveitando-se da ausência dos moradores do imóvel, utiliza-se de técnicas de arrombamento ou destreza para subtrair objetos de valor do local”, disse. 

A incidência desse tipo de crime, segundo Orlando, aumenta consideravelmente em período de férias, feriados e finais de semana. Os meses de janeiro e dezembro são marcados pelo período de férias escolares, “nessa época, muitas famílias saem da cidade para aproveitar as férias e se esquecem de tomar certas providências para que sua casa esteja segura durante a viagem”, disse o delegado.

Orlando disse ainda que o proprietário do imóvel tem que ter em mente que o marginal procura sempre o alvo que propicia maior facilidade. “Se o seu vizinho tem um muro alto e o outro tem uma cerca elétrica, a sua casa provavelmente será o alvo do marginal”, explicou. 

O delegado ainda deu dicas de como agir em caso de ausência prolongada da residência de quem está viajando: deixe um amigo ou parente de confiança cuidando de sua residência; suspenda contratos de recebimento de jornais, revistas e outros, ou solicite que esse amigo ou parente de confiança os recolha. Amaral afirmou que o acúmulo desses objetos indica a ausência prolongada dos moradores. 

Orlando também aconselha evitar cadeados em portas e grades de ferro por fora da residência isso também indica a ausência dos moradores. “Exceto se for possível o acesso a esses cadeados por dentro, use portas e janelas de qualidade; use trancas internas; cerca elétrica; câmeras de vigilância; cães de guarda; cortinas e persianas, essas de muita importância assim evita olhares para dentro da residência” comentou. 

O titular da especializada também falou da relevância de manter a campainha ficar desligada. ”Assim você deixa em dúvida quem vai usá-la apenas para saber se tem alguém em casa”, disse.

Orlando alerta ainda para que as pessoas, antes de viajar, acostumar-se a trancar sempre portas e portões que dá acesso à casa; manter sempre à mão os telefones de emergências da polícia e não comentar a viagem com pessoas estranhas.

A delegada da 12º Distrito de Policia Integrada (DIP), Fabíola Queiroz, também destacou a importância de registrar um boletim de ocorrência (B.O) imediatamente caso aconteça o arrombamento da casa. “A polícia tem que ser acionada o mais rápido possível para as investigações iniciarem”, alertou Fabíola.

A delegada da 5ª Seccional Centro-Sul, Ana Patrícia Ventilari, destaca que bolsas não podem ser deixadas dentro de veículos, pois chamam atenção dos bandidos, “é aconselhável deixar um cadeado grande e seguro pela parte de dentro da garagem, assim dificulta a ação do bandido”, completou.

Casa segura nas férias

O melhor seria não deixar a casa sozinha, mas se isso não for possível, peça a um vizinho ou parente visitar diariamente o imóvel. Não passe informações da sua viagem (local, data de saída e data de chegada) para estranhos ou serviçais. Informe apenas pessoa da sua confiança. Se possível, peça para uma pessoa de sua confiança recolher as correspondências, jornais e até os dejetos de cachorro se houver.

Não deixe as luzes acesas durante o dia, pois isso significa ausência de moradores. Se possível, instale um aparelho de fotocélula para acender e apagar as luzes externas à noite e de dia, respectivamente.

Deixe algum telefone de contato com um vizinho, parente ou amigo, para informarem alguma ocorrência.Em condomínios fechados ou edifícios não deixe as chaves na portaria. É aconselhável que poucas pessoas saibam do sistema de segurança de sua casa.

Acessos

Faça um exame cuidadoso do aspecto físico de sua residência procurando identificar possíveis vulnerabilidades que possam ser exploradas pelo marginal. Corrija todas elas e dificulte ao máximo o acesso ao imóvel. Alguns exemplos de vulnerabilidade: muros baixos, portas velhas, janelas sem trancas, aconselha o delegada da DERFD.

Publicidade
Publicidade