Domingo, 01 de Agosto de 2021
50 mil doses

Demora na entrega de vacinas pode tornar Dória 'persona non grata' no AM

Sugestão dos deputados Delegado Péricles (PSL) e Sinésio Campos (PT) cobra o cumprimento da promessa de 50 mil de doses do imunizante ao Amazonas, feita pelo governador João Dória (PSDB)



image_processing20200527-22141-x4spkx_E9058D91-12A6-47C6-8CA5-A440407155BA.jpeg Foto: Valter Campanato/AB
11/03/2021 às 15:18

Os deputados Delegado Péricles (PSL) e Sinésio Campos (PT) propuseram aprovar o título de ‘persona non grata’ ao governador de São Paulo, João Dória (PSDB-SP), fiador da vacina CoronaVac, carro-chefe do Programa Nacional de Imunização (PNI), caso Dória não cumpra a promessa de enviar 50 mil de doses do imunizante ao estado.

Os dois deputados que são de matizes políticas distintas, cobraram o cumprimento da promessa na manhã desta quinta-feira (11), durante sessão plenária da Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE-AM).

Acuado, após Sinésio ter ridicularizado a condução da pandemia do governo Bolsonaro, citando em tom jocoso, o pedido do filho do presidente, senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), para que apoiadores compartilhassem uma foto do seu pai com texto em defesa da vacinação, Péricles lembrou a promessa feita pelo psbdista e superestimou o desempenho do governo federal na resolução da pandemia.



"Tudo que foi feito para melhorar a situação do Amazonas foi feito pelo governo federal, em relação a recursos e equipamentos, pessoal, transporte, logística. As coisas começaram a funcionar quando o governo federal tomou conta do planejamento do estado (...) Temos que fazer um pacto aqui, deputado Sinésio, para cobrarmos o governador Dória, que já tem mais de dois meses que prometeu 50 mil vacinas e até hoje não chegou aqui em Manaus”, reivindicou.

Visto por Campos como um empecilho à uma provável candidatura de Lula ao Planalto, o deputado concordou com Péricles em apoiar uma provável reprimenda da Assembleia contra Dória.

A promessa de encaminhar 50 mil doses da CoronaVac ao estado independentemente de outras remessas do governo federal, foi feita em 17 janeiro, quando o governador correu para conseguir vacinar a primeira pessoa no país com a CoronaVac, incomodando o presidente Bolsonaro.

Na época, o Amazonas vivia o pior momento da segunda da covid-19. O estado chegou a registrar 107% de ocupação de leitos de UTI, com pacientes sendo transferidos para outros estados. Pacientes de covid-19 também morreram pela falta de oxigênio, insumo essencial no tratamento de casos graves.

O presidente Bolsonaro considerou não comprar a Coronavac por causa da origem da vacina. Quando os testes da vacina precisaram ser paralisados por causa de um efeito adverso grave, ocasionado por um suicídio de um dos voluntários, Bolsonaro comemorou como sendo uma vitória sua.

Em outubro do ano passado, quando países começaram o planejamento para assegurar doses anti-covid, Bolsonaro desautorizou Pauzello e suspendeu a compra de 46 milhões de doses da Coronavac. A medida foi elogiada pelos governadores, mas vista por Bolsonaro como um atropelo da sua autoridade.

Até hoje, o Amazonas recebeu via Ministério da Saúde 729.450 doses de imunizantes, sendo que 586.720 são de vacinas negociadas pelo governador paulista com o laboratório chinês Sinovac.

Enquanto que 134.500 são de duas remessas dos imunizantes da parceria Oxford/Astrazeneca, que tem como fabricante parceiro no País, a Fiocruz. Das oito remessas enviadas ao estado, seis são de remessas com vacinas Coronavac.

Segundo o Ministério da Saúde, foram enviados até a última quinta-feira (4), 17,5 milhões de doses de vacinas contra a covid-19 às 27 unidades da federação. 4 milhões de doses da AstraZeneca/Fiocruz; e - 13,5 milhões de doses da vacina do laboratório Sinovac/Butantan.

A Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM) informa que ainda não recebeu nenhuma dose de vacina contra covid-19 enviadas pelo Governo de São Paulo. A FVS-AM esclarece, ainda, que não há previsão de recebimento de doses por parte do Governo de São Paulo.

Conforme informado pelo Governo de São Paulo ao Governo do Amazonas, as 50 mil doses a serem destinadas ao Amazonas estão em fase de produção, após a chegada ao Brasil de um avião com 5,4 mil litros de insumos para a produção do imunizante pelo Instituto Butantan.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.