Publicidade
Manaus
Vida na prisão

Dentro da Vidal Pessoa havia videogame, TVs, igreja, pipas e até academia

Após o esvaziamento, a reportagem entrou na Cadeia Pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa. As paredes da unidade prisional centenária são repletas de dizeres bíblicos e conta até com uma igreja evangélica 11/10/2016 às 09:43 - Atualizado em 11/10/2016 às 15:38
acritica.com Manaus (AM)

A reportagem do Portal A Crítica acompanhou o esvaziamento nesta terça-feira (11) da Cadeia Pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa, no Centro de Manaus, com transferência de toda a população carcerária da unidade. Dentro da cadeia mais antiga do Estado do Amazonas, com 109 anos, foi encontrada paredes repletas de dizeres bíblicos, uma igreja evangélica e até uma academia para os detentos. Em algumas celas havia videogame, TVS, ventilador, fogão e pipas.

Muitos alimentos também foram encontrados, como frangos temperados, bolachas, biscoitos, entre outros. As carnes eram conservadas em caixas com gelo.

Todos os presos transferidos hoje foram levados à Unidade Prisional do Puraquequara (UPP). O esvaziamento ocorreu de maneira tranquila, um dia após nove presos da unidade fugirem da unidade. Eles ainda não foram recapturados.

Apenas 15 detentos que entraram na última segunda-feira (10) permanecem na unidade prisional, mas para a realização dos procedimentos cabíveis de ingresso no sistema. Após a finalização dos processos, eles serão encaminhados para as demais unidades prisionais do Estado.

A partir do dia 24 de outubro, os presos que derem entrada no sistema penitenciário não serão mais encaminhados para a Central de Recebimento e Triagem, que funcionará em uma ala no Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM), localizado no km 8 da BR-174. A Cadeia Pública será efetivamente desativada com a entrega do prédio para a Secretaria de Estado de Cultura (SEC) no dia 31 de outubro.

Familiares dos 167 presos  que ainda estavam  no local fizeram fila para receber os pertences deles.  Os presos deixaram a centenária cadeia por volta das 6h30 em vans, viaturas  e caminhões baú. Não houve nenhuma manifestação por parte dos transferidos. Alguns saíram de cabeça baixar e outros preferiram cobrir o rosto.

* Com informações da repórter Joana Queiroz e do repórter fotográfico Winnetou Almeida

Publicidade
Publicidade