Publicidade
Manaus
Agressão em CMPM

Dona de casa supostamente agredida por diretor irá responder por ameaça e desacato

Mulher que denunciou coronel por suposta agressão em escola é a única a sustentar essa versão, diz polícia. Caso ocorreu na última quarta no Colégio Militar da Polícia Militar, em Petrópolis 08/10/2016 às 05:00
Show denunciante tco
O caso será encaminhado à Justiça comum nos próximos dias e PM já abriu sindicância para apurar os fatos. (Divulgação/Jander Robson)
Kelly Melo Manaus (AM)

Após denunciar ter sido agredida pelo tenente-coronel Ronaldo César Gomes da Silva, diretor do Colégio Militar da Polícia Militar I, no Petrópolis, na Zona Sul, a dona de casa Roberta Michelle Fernandes, 35, vai responder a três Termos Circunstanciado de Ocorrência (TCO’s) por ameaça e desacato. A informação foi confirmada pela Polícia Civil. 

De acordo com a PC, o tumulto, ocorrido na última quarta-feira (5), foi causado porque a dona de casa tentou inibir uma menina de 8 anos que disse ter sido mordida pelo filho dela. Como o menino havia acabado de sair de um período de suspensão disciplinar, Roberta ficou transtornada, xingou os servidores da escola com palavras de baixo calão e chegou a receber voz de prisão por desacato do tenente responsável pelo Corpo de Alunos e do diretor da escola. 

O caso também foi registrado no 3º Distrito Integrado de Policia (DIP), em Petrópolis. O delegado  Willian Hitotuzi informou que  além da dona de casa e do diretor da escola, outras três pessoas foram ouvidas na delegacia. “As testemunhas contaram a mesma versão que foi sustentada pelo diretor [que a mulher se descontrolou]. Agora, vamos encaminhar o caso à Justiça”, afirmou o delegado. 

Segundo Hitotuzi, Roberta  Fernandes foi responsabilizada em TCO’s: um por ameaça, por ter tentando inibir a criança que denunciou ter sido mordida pelo filho dela,  e dois por desacato. Em um dos TCOs, o delegado também incluiu a apuração da lesão corporal culposa, já que a mulher alega ter sido agredida pelo policial militar.

Sobre a suposta lesão corporal que Roberta sofreu, Hitotuzi explicou que, segundo os depoimentos, a dona de casa tentou sair correndo da sala onde estava detida e acabou esbarrando no diretor, César Gomes. “O coronel é alto e ela é mais baixa e usa aparelho ortodôntico. Quando ela tentou sair correndo, esbarrou nele e provavelmente esse baque provocou alguns ferimentos nos lábios dela”, contou o delegado, ao acrescentar que todas as testemunhas ouvidas afirmaram que a agressão não existiu.  Os TCO’s vão ser encaminhados à Justiça, segundo a Polícia Civil. 

Sindicância na PM

O Comandante Geral da Polícia Militar, Augusto Sérgio Farias,  ordenou que uma sindicância seja aberta para apurar as circunstância da suposta agressão internamente. Segundo a Polícia Militar, as pessoas que presenciaram o ocorrido vão ser chamadas para prestar depoimento e a sindicância deve durar 15 dias. 

Diretor recebe apoio de pais e associação 

Pais de alunos e a Associação dos Oficiais da Polícia Militar e dos Bombeiros Militares do Amazonas (AOPBMAM)  saíram em defesa do  tenente-coronel.   Ontem, vários pais chegaram a ir para a frente da escola para defender o diretor. A dona de casa Alessandra Ramos, 35, disse que César Gomes  tem realizado um bom trabalho a frente da escola. “Ele faz um trabalho maravilhoso, meu filho estuda há sete aos na escola  e  o diretor é super presente. Eu mesma já procurei ele é fui atendida. Ele mudou muito a escola”, relatou. 

Em nota, a Associação dos Oficiais da Polícia Militar e dos Bombeiros Militares no Amazonas se manifestou a favor do tenente-coronel e sua equipe. “A Família CMPM conhece a dignidade e o profissionalismo do sr Coronel César Gomes e do sr Tenente Paulo Sérgio, que zelam por uma conduta exemplar e esforçam-se ao máximo para o bem estar de todos os integrantes do Colégio, bem como de todas as pessoas que ali comparecem por diversos motivos”. 

Voz na Web

Jéssica Carvalho - “Todas as pessoas de bem estão do lado do coronel César! Um gestor exemplar com um caráter admirável. Um Lord, jamais faria isso! Coronel tem todo meu apoio e respeito!”

Regina Viana  - “Ninguém está conformado com essa história. O nosso diretor é uma pessoa maravilhosa.  A mãe da criança agredida também  estava lá”

Kelly Alecrim - “O coronel jamais iria fazer isso. Ele é homem de caráter e digno. É mais fácil julgar as pessoas do que saber da verdade. Mãe, coloca a mão na sua consciência. Se você for uma mulher digna, fale a verdade. Porque tenho certeza que isso é mentira”

Elton Caetano Correa - “Este senhor seria incapaz de cometer tal ato, trata-se de uma mentira descabida que será apurada”. 

Karine Silva - “Essa situação precisa ser esclarecida à sociedade. Sou mãe de uma aluna da instituição CMPM e o comportamento declarado por essa mãe não condiz com a conduta do nosso diretor CEl César Gomes. Dizer não aos nossos filhos e prepará-los para a vida. Eu acredito na Instituição,  na disciplina e honra”

Publicidade
Publicidade