Publicidade
Manaus
Manaus

Depois de passar por dificuldades financeiras, funcionário público vira 'Papai Noel'

Claussious Amorim descobriu a satisfação de viver o ‘Bom Velhinho’ no Manaus Plaza Shopping após enfrentar diversos dramas familiares  13/12/2014 às 11:25
Show 1
Há três ano o funcionário público Claussious atua como Papai Noel no Plaza Shopping, onde centemas de crianças e adultos o aguardam de braços abertos
Jornal A Crítica Manaus (AM)

O funcionário público Claussious Amorim, 45, transformou um momento difícil da sua vida na alegria de milhares de crianças que acreditam na magia do Papai Noel e esperam ansiosas por um momento ao lado do bom velhinho. Convidado pelos amigos há três anos e motivado pela necessidade financeira da família, depois que teve o filho de 16 anos baleado na calçada de casa enquanto jogava bola com os amigos.

A solução para conseguir dinheiro extra para o tratamento foi montar um pequeno lanche e, mesmo assim, as dificuldades continuavam. No lanche, depois de uma conversa com três amigos que já atuavam como Papai Noel, o funcionário público foi convidado a assumir a função durante o período natalino e ele iniciou na atividade como Papai Noel do Manaus Plaza Shopping, onde está até hoje.

Emocionado, Claussious conta que apesar do filho ter sequelas e somente agora estar conseguindo recuperar os movimentos das pernas, cada avanço no tratamento é comemorado. Porém os custos com o tratamento do adolescente fizeram a família mergulhar em uma crise financeira. “Como pai, você sempre busca oferecer o melhor para o filho e, quando ele se encontra doente, o sentimento de proteção é muito maior”, explicou o funcionário público.


O que no primeiro ano foi feito por uma necessidade, hoje é um momento aguardado por todos da família. E além dele receber as crianças no shopping, Claussious também realiza eventos em empresas e escolas. “Sou bastante convidado para participar de confraternizações e festas até mesmo no dia de Natal. Esse ano tenho planos de, junto com a minha esposa, entregar sopa para as pessoas internadas porque sabemos o quanto é difícil viver em um ambiente hospitalar”, afirma.

De acordo com Claussious, o filho, hoje com 20 anos, ainda luta para se recuperar, mas ele considera que o fato de estar vivo é uma vitória e a única forma de agradecer a Deus é arrancando sorrisos das crianças, mesmo que seja apenas por alguns momentos. “Ele está terminando o ensino médio e as previsões dos médicos de que se ele sobrevivesse iria ser no estado vegetativo, não se cumpriram”, relata, emocionado.

Para Claussious, a principal retribuição pelo trabalho como Papai Noel são os olhos brilhando e cheios de esperança das crianças que aguardam ansiosas nas filas do shopping para entregar a cartinha ao bom velhinho. “Não existe dinheiro que pague o sorriso e o abraço de uma criança, principalmente porque não é o Claussious que está ali e, sim, o Papai Noel e toda a magia que ele transmite”, finalizou.

Publicidade
Publicidade