Quarta-feira, 17 de Julho de 2019
Manaus

Deputado Luiz Castro: "sou um dissidente no PPS"

Deputado afirmar que está cada vez mais distante da sigla, critica assédio a José Serra e admite a possibilidade de se integrar a Rede, de Marina Silva



1.jpg Castro também disse que se sente frustrado com a postura supostamente passiva da Executiva Estadual da sigla
31/08/2013 às 15:27

Líder do PPS na Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE-AM), deputado estadual Luiz Castro afirmou, nessa sexta-feira (30), que se considera um “dissidente” dentro do próprio partido e que mantém como expectativa a criação da sigla Rede Sustentabilidade para mudar de legenda. “Não me sinto satisfeito com a atual conjuntura do partido”, disse. O suplente do parlamentar move representação contra o deputado, no PPS, com pedido de expulsão e perda de mandato no Legislativo, justamente por conta do flerte de Luiz Castro com a Rede.

O namoro do PPS com o tucano José Serra também desagrada o deputado Luiz castro. Para ele, Serra não representa renovação. O PPS planeja atrair José Serra para a legenda e lançá-lo candidato à Presidência da República em 2014. “Serra vir para o PPS é um PSDB disfarçado. Talvez o Aécio (Neves, senador) seja mais renovação que o Serra. Precisamos nos afastar desse pólo paulista do PSDB que é o pólo que mais combate a Zona Franca de Manaus”, afirmou Luiz Castro. Na avaliação dele, o PPS deveria estar mais próximo da ex-senadora Marina Silva ou do governador de Pernambuco, Eduardo Campos, líder do PSB. “Me considero um dissidente dentro do PPS”, sustentou. 

Castro também disse que se sente frustrado com a postura supostamente passiva da Executiva Estadual da sigla, que não estaria contestando as posições nacionais do partido. Para ele, os partidos, de uma forma geral, não se renovaram.  “O século mudou, mas os partidos ficaram no pós-guerra, no tempo da guerra fria. Temos uma prática muito voltada para ocupar espaços de poder através de cargos”, comentou. “A Rede me atrai muito por conta da sua proposta inovadora e do seu estatuto. Ninguém pode estar no comando do partido por mais de dois anos, por exemplo. Não pode haver engessamento de dirigentes”, explicou ele. 

O suplente de Luiz Castro, Joaquim Corado, pede a expulsão do parlamentar da sigla, e a perda do mandato por “infidelidade partidária”, em virtude  do apoio público de Luiz Castro à criação do partido Rede Sustentabilidade, liderado pela ex-senadora Marina Silva. A representação está na Executiva Nacional do partido, sem decisão. Segundo Joaquim Corado, Luiz Castro feriu o Código de Ética do PPS ao usar a prerrogativa de deputado para apoiar a criação da Rede, “agredindo as normas que disciplinam seu dever de agir”.

Neste sábado, às 10h, no auditório João Bosco da Assembléia Legislativa do Estado, a coordenação estadual do partido Rede Sustentabilidade, que está em processo de registro no País, se reunirá com os apoiadores da nova legenda. 

Rodrigues vê projeto pessoal

O presidente estadual do PPS, Guto Rodrigues, declarou que o deputado Luiz Castro mantém projeto pessoal, em busca da reeleição na ALE-AM e, por isso, “tem a necessidade que prevaleça uma posição que lhe favoreça”. Segundo ele, Castro abandonou a participação em encontros do partido e reuniões da Executiva da legenda e toma decisões “unilaterais”. “Nós não preocupamos com candidatos que se acham em situação desconfortável porque o partido tem uma atitude que  contraria o projeto pessoal”, disse.


Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.