Publicidade
Manaus
DIFICULDADE

Reajuste em taxas dos Correios cria barreiras para o e-commerce no Amazonas

Custo elevado do frete e dificuldade na entrega dos produtos são alguns dos problemas enfrentados por clientes e lojistas na região 04/03/2018 às 05:00 - Atualizado em 04/03/2018 às 07:39
Show entrega de encomendas cresceu 16 nos correios 2
Os Correios anunciaram na última semana que vão aplicar um reajuste médio de 8% (Foto: Divulgação)
Rebeca Mota Manaus (AM)

Os Correios anunciaram na última semana que vão aplicar um reajuste médio de 8% nas tarifas do frete de encomendas para os objetos postados entre capitais e nos âmbitos local e estadual já a partir desta terça-feira. Quem vende ou compra pela internet enfrentará este desafio. Lojistas afirmam que o anúncio vai afetar 20% das vendas e consumidores dizem que vão deixar de comprar pela a internet. 

No Amazonas, o cenário ficará ainda mais complicado, tendo em vista que tanto clientes como lojistas que trabalham com o e-commerce na região já sofriam com taxas elevadas em relação a outros locais do País. A proprietária da loja virtual Toda Bella Moda Cristã, Mariane Cruz, já teve vários problemas de vender para outros estados por conta da dificuldade na entrega dos produtos, além do culto elevado do frete.

“Tem gente desiste da compra por conta do frete que é muito elevado. Eu tento driblar do meu jeito. Faço promoções, pago a metade do frete mesmo perdendo um pouco do lucro, envio não só pelos Correios, mas também por outras transportadoras”, conta Cruz. 

O proprietário da loja Ecorepair Peças Importadas, Ricardo Carvalho, estima que o custo elevado do frete vai diminuir 20% das vendas da sua loja. 

“Aqui na região Norte tem uma desvantagem no comércio eletrônico tanto para quem vende como para quem compra. Por exemplo, se uma pessoa da região Sul se interessar pelo meu produto ela não vai comprar devido o custo elevado do frete, ela vai comprar na sua própria região”, lamenta.

De acordo com a pesquisa de “Logística no E-commerce 2017”, realizada pela ABComm, o frete é o maior responsável pelos custos logísticos no e-commerce, com 58,1%. O principal vilão é a falta de infraestrutura no sistema viário, segurança e trânsito caótico que elevam os custos e causam transtornos nas entregas.

Além do frete, outros problemas impactam direto na decisão de compra e satisfação do consumidor final. Algumas das principais reclamações envolvem: altos preços, atrasos nas entregas, avarias, extravios e indiferença no atendimento ao consumidor final.  

Falta de estradas
Os Correios, por meio de sua assessoria de imprensa, informou que a logística do Estado do Amazonas é difícil devido à falta de estradas. “Somos a única empresa que entrega encomendas presente nos municípios do Amazonas. A falta de infraestrutura dos municípios faz com que os prazos para o interior sejam dilatados se comparados com o restante do Brasil”, informou a empresa, em nota.

Eles destacam que problemas pontuais de pico de carga, como é o caso do final do ano, está sendo resolvido com horas extras e trabalho nos finais de semana. 

“Em relação ao frete (tarifa) é uma política corporativa da empresa baseada em estudos de custos definidos pela precificação de seus produtos e serviços”.

Segundo os Correios, na capital temos 9 CDs (Centro de Distribuição Domiciliar de Cartas) 1 CEE (Centro de Entrega de Encomendas), todos funcionando dentro da normalidade, além das agências do interior que também realizam distribuição. 

Solução
Para o diretor do Rumo Mark Digital, Luiz Eduardo Leal, a melhor solução para driblar o frete seria ter um Centro de Distribuição (CD) regional. “Isso consegue baratear bastante e consegue fazer essa distribuição. Um CD tem que estar próximo de um aeroporto ou porto para fazer a conexão com outros estados e com o público local. Outro problema seria de devolução, tem que enviar via Sedex. Creio que as empresas precisam ter um canal de comunicação oficial e extra-oficial”. 

Pontos considerados por ele importante no e-commerce seria ter uma interface amigável, site rápido para conseguir o meu produto, ter avaliações de outras pessoas e diversas formas de pagamentos e preços.   

No Brasil, uma das novidades é a tecnologia que faz uso da inteligência artificial para resolver operações logísticas. Em minutos, softwares otimizam o uso da frota e geram as melhores rotas para os atendimentos, além de auxiliar cada motorista e fazendo a comprovação de entregas no exato momento em que forem realizadas.

Blog:

“Qualquer compra de produto feita fora do comercial físico, seja por meio de site, e-mail,  ou catálogo como Hermes, Avon e  outros que não se tem o contato direto com o produto o artigo 49 do Código de Defesa do Consumidor diz que a pessoa tem até sete dias da compra por qualquer motivo. É um direito de arrependimento. Ele tem direito a restituição do dinheiro, mas é preciso ser feito uma comunicação. Pegar a nota fiscal. Existe a proteção contratual lei 8.078 de 11 de setembro de 1990. Mas quando existir problemas quanto a demora e ou entrega de produto com defeito é necessário procurar os órgãos de defesa do consumidor. Pode ligar e reclamar no 0800  092  1512. O  consumidor tem que ter a informação clara quanta a forma e o tempo da entrega. E ele sempre tem que procurar informações sobre o fornecedor se ele tem CNPJ no site da Receita Federal”, explica Chefe do Jurídico do Procon-Am, Maurílio Brasil.

Contra o aumento

Na última terça-feira, o Mercado Livre lançou uma campanha contra o reajuste de até 51% nos fretes dos Correios, o aumento médio será de 29%, que pode atingir nos próximos meses. Segundo a empresa, a mudança prejudicará tanto os consumidores quanto os pequenos e médios empreendedores que vendem pela internet e utilizam os Correios para despachar seus produtos.

‘Driblando’ a taxa do frete

O “boom” do e-commerce no Brasil trouxe para muitos empresários o desafio da entrega rápida, ágil e a baixos custos para o cliente. Esses três itens, somados, fazem parte da entrega perfeita. Porém, isso nem sempre é tão simples na prática, o custo elevado do frete é um dos problemas que os lojistas estão enfrentando. Entretanto alguns empresários estão inovando e buscando alternativas para continuar crescendo e driblar estes obstáculos, é o caso da Sempre no Estilo 

A loja Sempre no Estilo, para se diferenciar de outras lojas no comércio eletrônico, está oferecendo aos clientes de Manaus frete grátis, parcelas em até seis vezes sem juros e entrega rápida em até dois dias úteis.  

“O valor do frete é bem alto, atrapalha um pouco, mas estamos buscando formas de satisfazer nossos clientes. Queremos que eles não tenham problemas quando realizarem algum pedido. Desejamos que eles tenham uma melhor experiência no consumo. ”, destaca o CEO da Sempre no Estilo, Leonardo Mene. 

Para que os clientes de outros estados não paguem tão caro será oferecido frete grátis a partir de compras acima de R$ 300. Além disso, será entregue para todos os clientes do Brasil uma embalagem diferenciada juntamente com um cartão de agradecimento por ter adquirido o produto.  “Isso é uma forma de dizer o muito obrigado ao nosso cliente e queremos garantir que o produto dele chegue de forma segura”. 

A loja Sempre no Estilo é focada em vender roupas jeans da marca PitBull, Lança Perfume e PZK jeans. Está presente no site: www.semprenoestilo.com.br e nas redes sociais: Instagram @semprenoestilooficical e Fan Page: Sempre no Estilo.  

Para que o cliente consiga tirar todas as suas dúvidas a respeito dos produtos, é oferecido um chat diferente que permite a interação do cliente com a loja. 

Publicidade
Publicidade