Publicidade
Manaus
Manaus

Descaso: moradores reclamam das dificuldades de atendimento por parte da Amazonas Energia

Com a constante falta de energia que assola Manaus, principalmente nas duas últimas semanas, ficar às escuras já não é o maior transtorno vivenciado pela população 10/11/2013 às 20:18
Show 1
A dificuldade em se obter atendimento junto à concessionária levou moradores da Cidade Nova 2, a fazerem uma “cota” para conseguir o religamento da energia
Renildo Rodrigues Manaus (AM)

Na sequência de “quedas” de energia que vem afetando Manaus nas últimas duas semanas, ficar às escuras pode ser o menor dos problemas. Moradores de diversos bairros têm acionado a Eletrobrás Amazonas Energia em busca de solução para problemas de abastecimento e ressarcimento de danos, sem muito sucesso.

É o caso de duas mulheres que sofreram prejuízos em decorrência da chuva da última sexta (8). A autônoma Juliana Gama, de 30 anos, perdeu a geladeira após uma queda de energia e não recebeu nenhuma providência por parte da concessionária. “Tinha acabado de fazer as compras do mês. Se somar com o que já estava na geladeira e também ficou estragado, o prejuízo foi de R$ 600 – isso sem contar o preço de uma geladeira nova, já que a minha teve perda total”, afirma.

Ainda segundo Juliana, a energia acabou na noite de sexta-feira, mas, o restabelecimento em sua casa, na Travessa Amazonas, Adrianópolis, na Zona Centro-Sul, só foi feito na noite seguinte. “A minha casa ficou completamente no escuro. Por causa disso, ao tentar entrar eu fui atacada pelo meu cachorro, que não me reconheceu, e acabei tendo que passar a madrugada no (Hospital Pronto-Socorro) 28 de Agosto. Quando eu saí, ao meio-dia de sábado, ainda estávamos sem energia. Só por volta das 19h, quando eu ameacei entrar com um processo pelo telefone, é que a luz foi religada”, explica.

Já a contadora Cláudia Granjeiro, 46, vem enfrentando dificuldades há mais tempo. Moradora do Conjunto Icaraí, no Parque Dez, Zona Sul da cidade, ela conta que a sua casa e as dos vizinhos sofrem com a energia precária desde o último mês de julho, por conta do apagão provocado por testes no Linhão de Tucuruí.

“A última queda foi nessa sexta, mas eu já venho praticamente perambulando, dormindo cada dia na casa de um parente, por causa da frequência com que isso acontece”, reclama a contadora.

Cláudia é uma das que tentaram, sem sucesso, obter alguma espécie de compensação da empresa. “Quando a gente pergunta se vai ter pelo menos uma redução na tarifa, por causa de tantas falhas, somos orientados a entrar com um requerimento em outro órgão. É um descaso, uma grande falta de respeito com o consumidor”, desabafa.

Ela afirma, ainda, que um dos vizinhos precisou instalar um gerador para poder entrar em casa, já que utiliza portão eletrônico. “É um problema que acontece apenas em uma parte da rua, mas mesmo assim segue há quatro meses sem solução”.

Ausência

A dificuldade em se obter atendimento junto à concessionária levou moradores do Núcleo 4 da Cidade Nova 2, na Zona Norte, a fazerem uma “cota” para conseguir o religamento da energia por um serviço particular, na manhã deste domingo (10). Isso só não aconteceu, segundo a administradora Cristine Roberto, de 37 anos, porque técnicos da Amazonas Energia chegaram no mesmo instante.

“Um poste explodiu ontem às 21h. A gente tentou falar com alguém da Amazonas Energia, mas só caía na secretária eletrônica, que dava todos os tipos de orientação, menos sobre como conseguir atendimento. Às 6h de hoje, depois da noite inteira sem energia, eu resolvi tentar de novo, mas eles só foram me atender às 9h. Dessa vez eles disseram que uma equipe já estava a caminho. 10h, 11h e nada. Quando eu liguei de novo, eles disseram que não sabiam o que tinha acontecido. Foi quando os vizinhos começaram a juntar dinheiro pra conseguir a energia, mas, justo nesse momento, os técnicos chegaram”, explica.

A reportagem do Portal A Crítica tentou falar com a concessionária sobre as ocorrências, mas não obteve resposta até a publicação desta matéria.

Publicidade
Publicidade