Publicidade
Manaus
DEPOIS DA CONDENAÇÃO

Desconto de 12% em restaurante e ato na Djalma marcam o pós-julgamento de Lula

A unidade de Manaus do restaurante Detroit Steak House vai receber clientes até as 23h desta quarta-feira (24) oferecendo 1% de desconto para cada ano a que o ex-presidente foi condenado 24/01/2018 às 21:54 - Atualizado em 24/01/2018 às 22:06
Show whatsapp image 2018 01 24 at 20.03.15
Foto: Antônio Lima
Vitor Gavirati Manaus (AM)

O rodízio de costela e aperitivos foi a principal pedida de quem passou pelo restaurante Detroit Steak House, na Zona Centro-Sul de Manaus, nesta quarta-feira (23). Após o fim do julgamento que acabou com a condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a casa deu 12% de desconto para seus clientes – 1% para cada ano a que Lula foi condenado.

Mais de 600 clientes passaram pelo restaurante até o começo da noite, afirma o sócio-proprietário do local, Giulian Ferreira. “Muita gente veio aqui pela primeira vez hoje, porque queria conhecer a casa. Viu nossa publicação nas redes sociais e quis conhecer”, conta o empresário, que avaliou o desfecho da estratégia de marketing como um sucesso.

“Foi uma forma que nós encontramos para brincar com o julgamento. Tratamos o caso de maneira bem-humorada”, complementa.

A promoção ainda não acabou. Quem quiser ir até o restaurante, que funciona no Shopping Millenium, tem até as 23h desta quarta-feira para entrar na casa pelo estacionamento do centro de compras. “Vamos funcionar enquanto estivermos com clientes”, explica Ferreira.

Ato na Djalma

Por volta de 18h30, na esquina da avenida Djalma Batista com a rua Pará, também na Zona Centro-Sul da capital, cerca de 15 pessoas se reuniram com faixas e cartazes entoando coros – como “Lula na cadeia”. A manifestação foi organizada pelos movimentos Vem Pra Rua e Livres.


Foto: Felipe Gramajo

O coordenador Estadual do Vem Pra Rua, Jean Batista, 22, afirmou que o ato serviu para “comemorar” a condenação de Lula.

“A gente não pode ter uma pessoa que implantou a corrupção no país e que queira financiar outros regimes na América Latina de novo”, afirmou o blogueiro Eduardo Santos, que faz parte do Livres.

Publicidade
Publicidade