Publicidade
Manaus
PERIGO

Desde o início do ano, mais de 1.300 objetos perfurantes foram apreendidos em fóruns

Nos primeiros seis meses, os detectores de metal dos fóruns estaduais flagraram milhares objetos perfurantes e até terçados, conforme o TJAM 10/07/2017 às 05:05 - Atualizado em 10/07/2017 às 14:52
Show 8620614426 d949711494 b
(Foto: Divulgação/TJ-AM)
Redação Manaus (AM)

Somente nos primeiro semestre deste ano, quase 1300 objetos perfurantes, entre eles tesourinhas e terçados, foram detectados nas entradas dos fóruns estaduais localizados em Manaus. Do ano passado para cá, a segurança foi reforçada nesses órgãos, especialmente após a ameaça de bomba no início do ano e a divulgação, pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ), de uma lista de 131 magistrados ameaçados de morte no País.

No Amazonas, dois juízes estão na lista do CNJ. Com o nome preservado como estratégia de segurança, esses magistrados e suas famílias vivem sob um esquema de segurança, reforçado após a crise penitenciária ocorrida em janeiro no Estado.“ Geralmente essas ameaças não são duradoras, mas os dois casos é uma ameaça real. Eles têm escolta policial para eles e para família, na vida pública e privada. Muitos casos de atentado ocorrem quando o juiz está chegando em casa, na padaria ou em uma situação fora do Tribunal”, destacou o presidente da Associação dos Magistrados do Amazonas (Amazon), Cássio André Borges dos Santos. Diferente de outros estados, o Amazonas não disponibiliza carros blindados para magistrados em situação de risco.

Mesmo como alvo de ataque o momento da vida privada, há atentados a magistrados durante as audiências. Este ano, não houve registros no Amazonas. Contudo, o número de objetos perfurantes detectados na entrada dos cinco fóruns estaduais de Manaus, entre eles tesourinhas, facas, chave de fenda, canivetes e até terçados,  é  expressivo. “Não entra ninguém sem que passe pelo detector de metal, inclusive nós, juízes, se não entrarmos pela garagem, temos que nos submeter a revista”, diz Cássio Borges.

Um total de 1370 objetos perfurantes foram recolhidos nos últimos seis meses, incluindo a sede do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJ-AM). O líder de ocorrências é o Fórum Desembargador Mário Verçosa, localizado na Rua Comendador Alexandre Amorim, 285 – Aparecida. Lá foram recolhidos  876 objetos perfurantes,  o que gera  uma média mensal de  146 materiais desse tipo apreendidos. Por meio da assessoria de imprensa, o TJ-AM informou que em situações onde não há suspeita de ataque, os objetos detectados são devolvidos ao dono quando ele sai do prédio do órgão. Em outros casos, é realizada uma apuração.

Em seguida, aparece o Fórum Ministro Henoch da Silva Reis (Avenida Umberto Calderaro s/n, Aleixo), com uma média de 29 objetos recolhidos por mês. Lá encontra-se a maioria das varas de família, apontadas pelo CNJ como líderes em ataques aos magistrados. Já o  Fórum Desembargador Lúcio Fonte de Rezende (Avenida Noel Nutels, s/n - Cidade Nova) tem uma média de  11 objetos recolhidos por mês, e no  Fórum Azarias Menescal  (Av. Autaz Mirim, 8812 - Jorge Teixeira)  a média é nove por mês.

Os fóruns do interior do Estado não possuem detectores de metais na entrada, mas há revista de segurança. A quantidade de objetos recolhidos não foi divulgado pelo TJ-AM.

Plano de ação contra atentado

Na primeira quinzena do mês de janeiro de 2017, por meio de relatório da Secretaria Executiva Adjunta de Inteligência, a Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP-AM) divulgou o plano da facção criminosa Família do Norte (FDN) em realizar atentados a órgãos públicos, entre eles uma bomba que seria deixada na sede do TJ-AM.

Publicidade
Publicidade