Publicidade
Manaus
SEMANA DA PÁTRIA

Desfile da Marinha reúne navios estrangeiros na praia da Ponta Negra, em Manaus

O evento foi realizado em comemoração a Independência do Brasil e pela 3ª fase da Operação BRACOLPER 2017 com auxílio de Marinhas do Peru e Colômbia 06/09/2017 às 12:04 - Atualizado em 06/09/2017 às 12:33
Álik Menezes Manaus (AM)

Navios das Marinhas do Brasil, Peru e Colômbia participaram do tradicional desfile naval na manhã desta quarta-feira (6), na Praia da Ponta Negra, na Zona Oeste de Manaus. O evento foi realizado em comemoração a Independência do Brasil e pela 3ª fase da Operação BRACOLPER 2017.

Participaram da programação Navios de Assistência Hospitalar (NAsH) Oswaldo Cruz e Soares Meirelles, os Navios-Patrulha Fluvial (NPaFlu) Pedro Teixeira, Raposo Tavares, Rondônia e Amapá e o vario Peruano BAP Castilha e o colombiano ARC Letícia.

O chefe do Estado Maior do Comando 9° DN , capitão de Mar e Guerra Ken Willians Schonfelder, disse que os navios participaram do desfile no retorno da operação. “Na realidade temos amanhã, o 7 de Setembro, que coincide com a operação. A BRACOLPER  é combinada entre as Marinhas do Brasil, Colômbia e Peru. Aproveitando que os navios foram fazer exercícios combinados a montante da cidade de Manaus, no Rio Negro. No retorno fazemos o desfile. A gente cria medidas de segurança mútua", afirmou.

Amazonenses que foram acompanhar o desfile ficaram surpresos e destacaram a importância dos desfiles navais na comemoração de datas como a independência do Brasil e a elevação do Amazonas à categoria de província, que foi celebrado na terça-feira (5).

Eduardo Guerra Andrade, de 4 anos estava ansioso para ver o desfile naval. O pequeno chegou às 9h na Ponta Negra, acompanhado da avó e da mãe, a psicóloga Mariana Guerra, 34. "Vim ver os homens de boné. Eu gosto deles", disse, entusiasmado.

Mariana contou que é a primeira vez que Eduardo assistiu o desfile na capital amazonense e insistiu por vários dias para que a mãe o levasse.

"Ele gosta bastante do militarismo e sempre comenta nas brincadeiras em casa que admira. Acho muito importante trazer ele nesse evento, para que desde cedo aprenda a nossa história e demonstre patriotismo, que percebo que está faltando na nossa sociedade", disse a psicóloga, que se mudou para Manaus há dois meses.

Publicidade
Publicidade