Publicidade
Manaus
POETA AMAZONENSE

‘Despreparados’, diz poeta Thiago de Mello sobre atual momento político do País

Escritor amazonense criticou líderes e ressaltou importância da educação durante a reinauguração de centro cultural que leva o seu nome, em Manaus 22/02/2017 às 12:11 - Atualizado em 22/02/2017 às 12:41
Show whatsapp image 2017 02 22 at 09.57.44
Foto: Aguilar Abecassis
Vinicius Leal Manaus (AM)

O dia era de reinauguração do Centro Cultural Thiago de Mello, mas o clima de festa no local não impediu que o homenageado se posicionasse a respeito da situação política no País. Com a bagagem de quem lutou contra a ditadura militar e acabou exilado, o maior poeta amazonense criticou o atual momento político do País e ressaltou a importância de se investir em educação.

“Eu sou um brasileiro, que pela minha carreira de escritor e de poeta, eu canto a esperança. É preciso ter muita força pra manter a esperança diante da situação em que se encontra o País. Mas esses líderes são despreparados, principalmente despreparados sobre o grande sentido do que é a educação. Não trabalham pela educação”, afirmou ele, mostrando que a esperança de quem escreveu "faz escuro mas eu canto, porque a manhã vai chegar" em 1966 ainda persiste em seu coração de poeta, mesmo aos 90 anos.

O autor d'Os Estatutos do Homem, um poema que chama atenção para a valorização das coisas simples da vida, reforçou a necessidade de uma formação educativa dos líderes do País. “O que acontece é que esses brasileiros que estão comandando o País, principalmente o presidente da República, não foram formados, não têm uma formação na educação como se tem aqui no Centro Cultural Thiago de Mello”, afirmou o escritor, na manhã desta quarta-feira.

O poeta falou também do atraso do Brasil quando o assunto é educação, lembrando encontros com nomes de referência na educação do País, como Paulo Freire. “O Brasil é um país muito atrasado em relação a outros países da América Latina, inclusive países mais pobres como a Bolívia, que tem um nível de educação mais elevado. Como disse Paulo Freire, o grande educador brasileiro, um país que não é educado, que não tem educação necessária para todos, é um país destinado ao fracasso”.

Mello lembrou ainda do trabalho realizado no centro cultural em prol da educação e das artes no Amazonas. “Não é pelo meu nome, não tem importância. Faz de conta que se chama (centro cultural) José ou Pedro. É pelo o que esse colégio, esse centro cultural já realizou pela educação. Este centro cultural está ajudando a elevar o nível da educação no Brasil, e cada pessoa que trabalha aqui está dedicada a esta grande causa”.

O novo Centro Cultural Thiago de Mello, que existe há 13 anos, passou por reformas na infraestrutura como a revisão das redes elétrica e hidrossanitárias, substituição completa de forros e telhados, instalação de sistema de som, substituição de vidros e esquadrias, adaptações estruturais (incluindo rampas de acesso) para pessoas com necessidades especiais, instalação do sistema de combate a incêndios, modernização das salas de aulas e pintura em geral.

Novos cursos

O novo centro, que agora tem capacidade para atender mais de 20 mil estudantes diariamente, ganhou estrutura de 36 salas climatizadas, biblioteca, laboratórios de informática, salas para cursos, sala de apoio com recursos audiovisuais para pessoas com deficiência, sala multimídia, ludoteca, área de convivência, anfiteatro para 300 pessoas, estacionamento e demais espaços administrativos.

Além da nova estrutura física, o centro cultural também vai ganhar novos serviços em educação, como cursos de formação artística coordenados pelo Liceu de Artes e Ofícios Claudio Santoro. Segundo o governador José Melo, também presente na reinauguração do centro, as aulas serão oferecidas a todas as faixas etárias – crianças a partir de 7 anos, jovens, adultos e idosos.

Localizado na avenida Autaz Mirim, 9.018, Novo Aleixo, Zona Leste, o Centro Cultural Thiago de Mello também será o novo endereço da Biblioteca Genesino Braga, que funcionava no Shopping Grande Circular. Além de leituras e pesquisas, em acervo de mais de 8 mil títulos com obras amazônicas e infantis, periódicos, dicionários, enciclopédias e atlas, os visitantes poderão utilizar computadores com acesso à internet e fazer o empréstimo de obras.

O novo centro cultural ainda contará com programação de cursos voltados para formação de professores da rede estadual de ensino nas áreas de Linguagens, Matemática e Educação Ambiental; cursos de Linguagem Brasileira de Sinais – Libras; e cursos profissionalizantes em diversas áreas, todos coordenados pela Secretaria de Estado de Educação (Seduc), pela Secretaria de Estado da Cultura do Amazonas (SEC) e pelo Centro de Educação Tecnológica do Amazonas (Cetam).

Publicidade
Publicidade