Domingo, 21 de Julho de 2019
Arraial de irregularidades

Desrespeito e trânsito caótico para quem vai prestigiar festival no Parque 10

Mais do que festival folclórico, mês de junho, no Parque 10, é sinônimo de engarrafamentos e estacionamentos proibidos



1.png Com os carros estacionados sobre a calçada, pedestres precisam 'se espremer'
27/06/2013 às 09:31

Mês de junho, época de reunir a família e amigos para curtir os arraiais, comer guloseimas típicas, pular fogueira, dançar quadrilha e se divertir em festejos que se multiplicam por toda a cidade, certo? Não para quem precisa passar até 40 minutos à procura de uma vaga para estacionar o carro no entorno do Centro Social Urbano (CSU) do Parque 10, na Zona Centro-Sul, onde acontece o 33º Festival Folclórico do bairro.

E muito menos para quem mora nas imediações e deseja, simplesmente, chegar em casa, seja a pé ou de carro. Nas ruas, filas de carros em busca de uma vaga deixam o trânsito do Parque 10 ainda mais complicado que o de costume. Os engarrafamentos, que viram rotina nessa época do ano, estressam o industriário Kléber Alencar, 36, e tiram o sono da professora Maria do Socorro Silva Oliveira, 44, literalmente.  “Meus filhos insistiram muito pra que eu os trouxesse aqui no arraial do CSU, mas estou quase desistindo e voltando para casa. Não consigo encontrar uma vaga para estacionar o carro e já estou rodando há mais de 30 minutos. Quer dizer, estou mais parado do que rodando, não tem um agente de trânsito para orientar os motoristas”, reclamou.

Enquanto os motoristas, estressados com o congestionamento, buzinavam para o veículo da frente, a professora Maria do Socorro tentava dormir. Ela mora quase ao lado do CSU e se disse incomodada com a falta de organização do trânsito durante o arraial do CSU. “Todo ano é a mesma coisa: não tem vaga para todo mundo no CSU, aí fica esse engarrafamento e começa o buzinaço na minha janela”, desabafou.

E não são só os motoristas e moradores do Parque 10 que enfrentam problemas com a “invasão” de carros por conta do arraial do CSU. Os pedestres são, talvez, os mais prejudicados, conta a estudante Tatiana Lopes, 27. “Como não tem fiscalização dos agentes de trânsito, os motoristas deixam os carros em qualquer lugar, de qualquer jeito. Estacionam com duas e até as quatro rodas sobre a calçada, e o pedestre é obrigado a andar pela rua, um perigo”, alertou.

De acordo com o Código de Trânsito Brasileiro, estacionar sobre o passeio é infração grave, com multa de R$ 127,65 e remoção do veículo.

Festejos

Mas nem só de problemas é feito o arraial do CSU. Com mais de 100 barracas de lanches e guloseimas, brincadeiras e muita música - da quadrilha ao boi-bumbá - o festival já virou tradição e atrai famílias de todos os bairros da cidade, como a do comerciante Osvaldo Santos, 55, morador do Tarumã, na Zona Oeste, que visitou o arraial no último domingo. “Todo ano trago minha família aqui. Só que quem vez de carro precisa chegar cedo.”

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.