Quinta-feira, 21 de Novembro de 2019
PARQUE 10

Desvio em rua do conjunto Shangrilá 4 causa polêmica entre motoristas

Sinalização de desvio de trânsito ainda não inaugurado confunde motoristas e intervenção virou alvo de críticas de quem precisa entrar no conjunto, pois o novo caminho é tomado por buracos



shangril_.JPG Quem vem da Av. das Torres também não pode mais acessar a rua Nagasaki. Foto: Evandro Seixas
09/05/2018 às 23:03

Um projeto de desvio da rua Dante Alighiere, principal acesso de moradores do conjunto Shangrilá 4, no bairro Parque 10 de Novembro, ao trecho centro-sul da avenida Governador José Lindoso  (a Avenida das Torres), causou polêmica entre motoristas e pessoas que circulam pela área, principalmente por conta do risco de acidentes no local, após implantação de sinalização. 

Desde o fim de abril, conforme a assessoria do Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização do Trânsito (Manaustrans) houve a implantação de uma faixa horizontal de orientação e placas verticais, que indicam o desvio e proibição do tráfego ao condutor que dirigir sentido Shangrilá/Torres.



Essa medida, segundo o Manaustrans,  ainda não tem data para entrar em vigor, mas confunde os motoristas, segundo a advogada Regina Gourg França, 37. Por conta da falta de informação, o risco de acidentes aumenta. A equipe de reportagem de A CRÍTICA permaneceu durante 30 minutos no local ontem e contabilizou 67 veículos “furando” o desvio.

“Desde que isso foi implantado, carros que vem da Avenida das Torres utilizam as duas faixas de tráfego e alguns motoristas vêm no sentido contrário. Toda hora tem discussão, buzinaço ou pior, até acidentes”, explicou.   

A medida dividiu opiniões, principalmente entre moradores do conjunto Jardim Oriente. O autônomo Silvio Alex dos Santos, 23,  explicou  a rua Dante Alighiere é ligada à  rua Hokkaido, trecho onde fica situada a  rua que dá acesso ao conjunto. Ele contou que com o projeto, quem trafegar sentido Shangrilá/Torres precisa desviar por ruas esburacadas.

“Alguns moradores se perdem com trajeto do retorno e, como solução, precisam acessar a Avenida das Torres, dar a volta em um retorno muito perigoso que há próximo ao início da rua Hokkaido  para que assim possam entrar na rua onde moram”, disse.

A dona de casa Juçara Portielle, 44, contou que o Manaustrans não consultou os moradores do conjunto antes de implantar a sinalização.  A moradora disse que até aprova o desvio, mas   precisou trocar a suspensão do automóvel dela porque as ruas pelas quais precisa passar agora estão muito esburacadas.

“Aquela rua Nagasaki parece até a própria cidade bombardeada, pois não há mais apenas buracos, mas sim crateras. O fluxo de carros aumentou e o último trabalho de manutenção em ruas paralelas foi feito em 2014”, denunciou.

O comerciante Marlon Souza, 23, já começou a contabilizar os prejuízos no lava-jato que possuí na rua Kagoshima. Ele contou que as lavagens diminuíram cerca de 30% nas últimas duas semanas.      “Em dia de Sol como o de hoje nós recebemos cerca de 10 clientes por dia, e até ás 17h de hoje (ontem) lavamos apenas um carro. Meus clientes também se perdem todas as vezes que mando aminha localização: o GPS ainda indica o caminho antigo, por isso muitos desistem de vir. Tenho medo que o cenário fique ainda pior e precisar fechar meu lava-jato”, lamentou ele.

Nenhum motorista que foi flagrado pela equipe de reportagem quis comentar sobre as infrações.

Manaustrans

A assessoria de comunicação do Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização do Trânsito (Manaustrans) informou que o projeto de desvio  foi implantado  após pedido de moradores do local e ainda não há data prevista para iniciar as autuações de multas. Houve análise da comissão responsável que fez um estudo sobre as condições da área e indicou estratégias de tráfego para os veículos.

Como no local ocorriam muitos acidentes, o projeto quer diminuir os casos registrados, no entanto a assessoria não soube informar o número ocorrências que já aconteceram pelo perímetro. O Manaustrans afirmou também que agentes devem visitar o local durante 30 dias para dar orientações.

Sem multas

O desvio inicia nas esquinas das ruas Dante Alighiere e Nagasaki (ou rua B). A partir daí o condutor precisa dobrar a primeira rua a esquerda chamada de Mone Fuji, e assim, acessar a avenida das Torres. O Manaustrans informou que condutores ainda não serão multados, mas a nova sinalização deve ser respeitada.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.