Sábado, 20 de Abril de 2019
publicidade
PROJETO_M_OS_LIVRES__5_.JPG
publicidade
publicidade

QUALIFICAÇÃO

Detentas do CDPF recebem certificados por cursos feitos na cadeia

Alunas dos projetos 'Lisbela' e 'Mãos Livres' ajudam as detentas a conseguir capacitação profissional e mudar comportamento


31/08/2017 às 20:40

Nesta quinta-feira, 31 de agosto, o Centro de Detenção Provisória Feminino (CDPF) realizou a certificação de 17 detentas em cursos dos projetos “Lisbela”, que consiste em promover um espaço de beleza e cursos profissionalizantes na área, e o “Mãos Livres”, que são produções de artesanatos em um ambiente para trabalhos terapêuticos e sociais. Os projetos são desenvolvidos pela Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) e Umanizzare Gestão Prisional, para ressocialização e capacitação da população carcerária.

Para o secretário de Estado de Administração Penitenciária, coronel da Polícia Militar, Cleitman Coelho, os cursos tem um papel fundamental na rotina das internas, que podem transformar o tempo ocioso dentro da unidade em novos aprendizados. “O objetivo principal de iniciativas como essa, é desenvolver e estimular atividades que possam agregar conhecimentos necessários para que as mesmas utilizem quando retornarem a sociedade”, disse o secretário.

Ambos os cursos iniciaram no dia 16 deste mês e foram concluídos na data de hoje. No Lisbela, a etapa do curso foi voltada para depilação e designer de sobrancelhas. O projeto que profissionaliza as detentas em áreas de estética, através do salão de beleza, foi implantando na unidade em 2015 e qualificou, em agosto, nove mulheres que podem exercer os conhecimentos nesta área de beleza quando saírem do sistema prisional.

O projeto Lisbela já capacitou cerca de 90 mulheres nos módulos de corte e escova, manicure e pedicure, colorimetria, depilação e designer de sobrancelhas.

O módulo que foi promovido do projeto “Mãos Livres” foi a customização de sandálias, que capacitou oito internas. Os modelos confeccionados pelas detentas serão comercializados em lojas colaborativas e parte do valor será revestido para a aquisição de mais matéria prima para o artesanato das envolvidas no curso.

Experiências de vida

Para uma das internas que já participou de módulos nos dois cursos, as experiências têm servido não só para aprender algo novo, mas tem contribuído em uma mudança de postura dentro da unidade prisional. “Com o tempo que estamos no curso, ouvindo o que a professora tem a dizer e ensinar, nos dá mais vontade de participar.  Me comprometi a mudar o meu comportamento e, através disso , fui escolhida para ser monitora da turma de depilação e designer de sobrancelhas”

Durante a entrega de certificado dos dois cursos, as instrutoras elegeram quatro internas que se destacaram nos projetos, sendo duas em cada segmento de aprendizado. O critério para a escolha foi a mudança de comportamento e postura que cada uma delas teve durante o período em que se propuseram em participar das atividades.

publicidade
publicidade
Presídio CDPM 2 recebe sensores sísmicos para prevenir fugas, diz Seap
Presidiários do Amazonas começam a ser vacinados contra a gripe H1N1
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade

publicidade
publicidade

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.