Publicidade
Manaus
Manaus

Detentos atualizam páginas no facebook de dentro de presídios no AM

Este é o terceiro registro de casos envolvendo detentos e postagens no Facebook, feitas em unidades prisionais do Amazonas neste mês 25/07/2013 às 14:15
Show 1
No álbum de fotos de Gisele Lacerda é possível encontrar fotos em todas as áreas do presídio
Bruna Souza Manaus, AM

Gisele da Silva Lacerda, 31, conhecida como 'Jéssica' ou 'Jhessy', tem atualizado e feito postagens de fotos no facebook, por meio de um celular, mesmo estando presa na cadeia pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa, localizada no Centro de Manaus. Ela cumpre pena por tráfico de drogas desde outubro do ano passado. Em menos de um mês, este é o terceiro flagra envolvendo detentos com atualizações e postagens na rede social no sistema penitenciário do Amazonas.

No álbum de fotos da presa é possível encontrar fotos em todas as áreas do presídio, inclusive no momento do banho de sol, na cela, dia de visitas. Nos posts, a detenta ainda reclama da qualidade da comida, uma de suas colegas de detenção também brinca dentro de um freezer que ela diz pertencer a 'faculdade'.

A última publicação foi realizada por 'Jéssica', às 16h desta quarta-feira (24). No dia 6 deste mês, a detenta pediu, em uma postagem, proteção aos amigos presos no Centro de Detenção Provisória (CDP) durante rebelião e dois dias antes faz um desabafo, agradecendo a saída de uma das companheiras de prisão, conhecida como 'Jhack', após receber o alvará de soltura.

Veja imagens aqui

Segundo Caso

Suspeito de ter participado do roubo na Universidade Nilton Lins no dia 29 de abril deste ano, Bruno Kênio Teixeira Lobo, de 23 anos – que também está preso na cadeia pública –, teve a página do Facebook atualizada, enquanto permanece dentro do presídio aguardando o julgamento.

Segundo informações da polícia, Bruno Kênio é conhecido por gostar de aparecer em fotografias. Durante a sua prisão no mês de maio, juntamente com Alan Baraúna Ferreira, 22, a polícia encontrou imagens nos aparelhos celulares dos suspeitos, onde aparecem fazendo ‘farra’ com o dinheiro roubado da instituição de ensino.

As fotos que foram publicadas e alteradas como foto do perfil estão datadas na linha do tempo de Bruno nos últimos dias 28 e 29 de junho, quase dois meses após ser preso. Em uma das fotos, Bruno Kênio comentou com a palavra 'liberdade'.


A equipe de reportagem do acritica.com entrou em contato com a Secretaria de Estado e Justiça e Direitos Humanos (Sejus) e recebeu a informação de que Bruno Kênio e outros três suspeitos de cometerem o assalto na universidade continuam presos em unidades prisionais diferentes. Bruno Kênio está preso na cadeia pública, Daniel Queiroz de Moraes e Pablo Alberto Vasconcelos Nascimento no Centro de Detenção Provisória (CDP) e Alan em uma unidade da Aeronáutica, onde servia como militar.

Questionados sobre uma possível fuga, a assessoria de imprensa do órgão que administra o sistema penitenciário no Amazonas e o advogado de defesa de Bruno, Etã Castelo Branco, negaram a hipótese.

Um pedido de revogação de prisão preventiva, que consta no processo 0219272-54.2013.8.04.0001, foi feito no último dia 10 de julho pelo advogado à 3ª Vara Criminal da Capital, onze dias depois de a última foto ser publicada na rede social do detento. O pedido aguarda o julgamento do juiz.

Outro suspeito de ter cometido o assalto, Pablo Alberto teve o pedido de liberdade provisória negado pelo juiz Carlos Alberto Barbosa da Silva, ainda no mês de maio.


Crime
O assalto a Universidade Nilton Lins aconteceu na noite do último dia 29 de abril, na ocasião, mais de R$ 59 mil foram levados pelo bando, sendo R$ 49.707 em espécie e R$ 9.512,33 em cheques do setor financeiro da instituição. As imagens do circuito interno de segurança da universidade gravaram a ação dos bandidos dentro da unidade de ensino e foi por meio delas que a polícia conseguiu identificar Daniel Queiroz de Moraes e Bruno Kênio, posteriormente a investigação levou aos outros nomes.

Fragilidade do sistema
No começo deste mês foi divulgado que a detenta Aline Fontoura Silva, que cumpre pena desde o mês de abril por tráfico de drogas na ala feminina da cadeia pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa, postou no seu perfil na rede social fotos ao lado de outras presas e dela fumando dentro da unidade prisional. A situação causou um desconforto no sistema penitenciário do Estado e a notícia ganhou repercussão nacional.

#Colaborou o repórter Bruno Strahm

Publicidade
Publicidade