Domingo, 22 de Setembro de 2019
RESSOCIALIZAÇÃO

Detentos do CDPM2 concluem curso de manutenção de ar-condicionado

Com a qualificação, os presos passarão a realizar as manutenções preventivas no próprio Centro de Detenção Provisório Masculino 2



8e8b5005-a323-4a96-b717-73c93eeabbb6_0B983D48-0B76-4FCB-B8CB-C16D207368B2.jpg Foto: Divulgação
01/08/2019 às 17:43

Os detentos do Centro de Detenção Provisório Masculino 2 (CDPM 2), localizado no quilômetro 8 da BR-174 (Manaus-Boa Vista), concluíram nesta quinta-feira (1º), o curso “Manutenção de Ar-Condicionado”. Com a qualificação, os reeducandos passarão a realizar manutenções preventivas na unidade, que devem gerar uma economia aproximada de R$ 3 mil.

Ao todo, 23 detentos participaram da primeira turma. O curso teve duração de 40 dias, com carga horária de 160 horas, distribuídos em quatro horas cada aula, com parte teórica e prática. De acordo com o instrutor Orlando Freire, os reeducandos receberam aulas sobre manutenção preventiva e corretiva, instalação de máquinas split, higienização de condicionadores de ar, comandos elétricos e aulas práticas de geladeira e bebedouro.

O secretário-executivo adjunto da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap), tenente-coronel André Luiz Barros Gioia, destacou que o curso oferece muitas oportunidades de trabalho, por conta do clima da região.

“Nossa cidade é muito quente, e o ar-condicionado é um equipamento necessário. A ideia é colocarmos cursos profissionalizantes para que vocês possam ser autônomos e donos dos seus negócios”, disse ele aos reeducandos.

Em nome do grupo, o reeducando Marcelo* (nome fictício) agradeceu pela oportunidade de participar do curso. “A ressocialização faz parte. Todos se empenharam e procuraram aprender. O curso caiu do céu”, afirmou. As aulas foram realizadas em parceria com o Centro de Educação Tecnológica do Amazonas (Cetam).

Economia

Durante as aulas práticas, os internos realizaram a manutenção de 21 aparelhos de ar-condicionado do CDPM 2, representando uma economia estimada em R$ 3 mil. A cada três meses, o grupo fará a manutenção dos equipamentos da unidade.

Segundo o diretor da unidade, Lucas Maceda, os recursos que seriam gastos pela empresa cogestora Embrasil Serviços foram realocados para o desenvolvimento de outros projetos de ressocialização, como a granja e a horta. “Graças a essa economia, pudemos aumentar as frentes de trabalho”, ressaltou Maceda, que já vislumbra a formação da segunda turma.

News portal1 841523c7 f273 4620 9850 2a115840b1c3
Jornalismo com credibilidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.