Quinta-feira, 17 de Outubro de 2019
CAMPANHA

Dia 'D' da Semana de Vacinação leva mães e filhos indígenas a postos de saúde

Campanha visa evitar a reintrodução de doenças na capital, como o sarampo. Foco é ampliar cobertura vacinal, sobretudo de crianças menores de dois anos



WhatsApp_Image_2019-08-31_at_11.22.46_124A78AB-8E5D-4016-8219-3AB0A606C75C.jpeg Foto: Antonio Lima/A Crítica
31/08/2019 às 13:06

Este sábado (31) foi um dia especial para seis mães da comunidade indígena Kokama Nova Esperança, localizada no quilômetro 8 do Ramal do Brasileiro. Demonstrando consciência, elas levaram seus filhos menores de dois anos de idade para se imunizarem, aproveitando o Dia "D" da Semana de Intensificação Vacinal. Um total de 136 salas de vacina estiveram abertas nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs), Policlínicas, Clínica da Família Waldir Bugalho e Unidades Básicas de Saúde da Família (UBSF), das 8h às 12h.

A campanha, lançada pela Prefeitura de Manaus, visa proteger a capital da reintrodução de doenças, como o sarampo e tem como foco ampliação da cobertura vacinal, sobretudo de crianças menores de dois anos. No caso das famílias indígenas, elas foram vacinar seus pequenos na Clinica da Família Waldir Bugalho, localizada no bairro Jorge Teixeira, Zona Leste da cidade.



Entre as vacinas ofertadas pela Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) e recomendadas para a faixa etária de menores de dois anos, público prioritário da mobilização, estão: Pentavalente (difteria, tétano, coqueluche, Hepatite B e meningite e infecções por HiB), Pneumocócica (pneumonia, otite, meningite e outras doenças causadas pelo Pneumococo), Poliomielite, Rotavírus, Meningocócica (previne a doença meningocócica C), Febre Amarela, Tríplice Viral (sarampo, caxumba e rubéola), Tetra Viral, (sarampo, rubéola, caxumba e varicela/catapora), Hepatite A, e DTP (Difteria, tétano e coqueluche).

Liderança indígena, a dona de casa Maria do Perpétuo Socorro, conhecida como Socorro Cacique, destaca a mudança de pensamento atual dos Kokama da sua comunidade, onde nem todos se vacinam e alguns ainda consideram a imunização é tabu.

“Nossos antepassados e idosos morriam por não tomar vacinas e até hoje pessoas morrem por não se imunizar. Por isso nós trouxemos nossas crianças para nós livrar das doenças”, disse ela, que lidera 206 indígenas da comunidade.

A kokama Roneide Celestino Brasil levou, nesta manhã, o seu filho Ronei, de apenas 2 meses, para se vacinar na unidade. Para ela, “o ato de vacinar previne doenças é muito bom para as nossas crianças”.

Cobertura vacinal

O secretário municipal de Saúde, Marcelo Magaldi Alves, explicou que a intenção, ao final deste dia “D", é da cobertura vacinal chegar em 95%. Atualmente, a média de cobertura dessas vacinas está em 85%. “Percebemos uma boamovimentação neste ‘Dia D'.É fundamental que tenhamos estratégias para aumentar a cobertura vacinal da população e evitar novos surtos de doenças em nossa cidade”, destaca ele, que estava presente à unidade de saúde junto com o prefeito Arthur Neto.

“O país vive um intenso fluxo migratório. São Paulo, por exemplo, está enfrentando um grave surto de sarampo. Aqui, em Manaus, conseguimos vencer a doença em tempo recorde e queremos que continue assim, seja com sarampo ou outras doenças. Por isso, lançamos a campanha e convocamos os pais e a população em geral que participem do Dia ‘D’ e atualizem suas cadernetas de vacinação”, disse Arthur Neto.

Quem perdeu o 'Dia D' pode procurar, de 8h às 17h, uma das unidades de saúde da cidade. A relação de salas de vacinação pode ser consultada no site da Semsa. Há dez unidades de saúde com horário ampliado até 21h, também com salas de vacina.

Beja as vacinas que as crianças precisam tomar nos dois primeiros anos de vida:

Recém-nascidos

BCG - ID (dose única) - previne contra as formas graves da tuberculose. A criança deve receber essa vacina o quanto antes. Por isso é aplicada antes de o bebê deixar a maternidade do hospital.
 
Hepatite B (dose única) - deve ser aplicada, preferencialmente, nas primeiras 12 horas de vida do bebê. Também é aplicada ainda na maternidade.
 
Aos 2 meses

Pentavalente – DTP/Hib/Hep B (1ª dose) - previne contra difteria, tétano, coqueluche, meningite, hepatite B e outras infecções por Haemophilus influenzae tipo B.

VIP - (1ª dose) - vacina inativada contra poliomielite.

Vacina Oral do Rotavírus Humano – VORH (1ª dose) - previne contra diarreias graves causada pelo Rotavírus.

Vacina Pneumocócica 10V – conjugada (1ª dose) - previne contra meningite, pneumonia, otite e outras enfermidades causadas pelo pneumococo.
 
Aos 3 meses

Vacina Meningocócica C – conjugada (1ª dose) - protege a criança contra meningite C e doenças graves causadas pelo meningococo, como a infecção generalizada.
 
Aos 4 meses

Pentavalente – DTP/Hib/Hep B (2ª dose) - Previne contra difteria, tétano, coqueluche, meningite, hepatite B e outras infecções por Haemophilus influenzae tipo B.

VIP - (2ª dose) - vacina inativada contra poliomielite.

Vacina Oral do Rotavírus Humano – VORH (2ª dose) - previne contra diarreias graves causada pelo Rotavírus.

Vacina Pneumocócica 10V – conjugada (2ª dose) - previne contra meningite, pneumonia, otite e outras enfermidades causadas pelo pneumococo.
 
Aos 5 meses

Vacina Meningocócica C – conjugada (2ª dose) - protege a criança contra meningite C e doenças graves causadas pelo meningococo, como a infecção generalizada.
 
Aos 6 meses

Pentavalente – DTP/Hib/Hep B (3ª dose) - previne contra difteria, tétano, coqueluche, meningite, hepatite B e outras infecções por Haemophilus influenzae tipo B.
 
VIP - (3ª dose) - vacina inativada contra poliomielite.
 
Tríplice viral (dose extra) - essa dose vai proteger a criança contra sarampo, caxumba e rubéola, no entanto, quando a criança completar um ano deve tomar novamente.
 
Aos 9 meses

Febre Amarela (dose única) - protege contra a febre amarela.
 
Aos 12 meses

Vacina Pneumocócica 10V – conjugada (reforço) - previne contra meningite, pneumonia, otite e outras enfermidades causadas pelo pneumococo.
 
Vacina Meningocócica C – conjugada (reforço) - protege a criança contra meningite C e doenças graves causadas pelo meningococo, como a infecção generalizada.
 
Tríplice Viral – SCR (1ª dose - rotina) - previne contra caxumba, rubéola e sarampo.
 
15 meses

VOP - (1º reforço) - vacina oral contra poliomielite.
 
DTP (1º reforço) - previne contra tétano, coqueluche e difteria.
 
Hepatite A (dose única) - protege contra a hepatite A
 
Tetra Viral (dose única) - protege contra o sarampo, caxumba, rubéola e catapora.

Repórter de A Crítica

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.