Publicidade
Manaus
Dia Mundial Sem Carro

Leitores de A CRÍTICA topam desafio e deixam o carro na garagem por um dia

Para quem não conseguiu participar da experiência os movimentos de mobilidade da capital reforçam o convite. 'Deixe o carro na garagem e aproveite para ver a cidade com outros olhos', diz Paulo Aguiar do Pedala Manaus 22/09/2016 às 20:48 - Atualizado em 22/09/2016 às 20:51
Show seu ant nio
Antônio gastou oito minutos para ir de casa ao trabalho, quando diariamente realiza o mesmo percurso em 20 minutos. Foto: Aguilar Abecassis
Isabelle Valois Manaus

Deixar o carro na garagem e aderir a outro modal nem sempre é muito fácil, mas nesta quinta-feira (22), no Dia Mundial Sem Carro, leitores aceitaram o desafio e compartilharam a experiência com A CRÍTICA. Para quem não conseguiu participar da experiência os movimentos de mobilidade da capital reforçam o convite. “Deixe o carro na garagem e aproveite para ver a cidade com outros olhos e conhecer demais modais”, disse o coordenador do Movimento Pedala Manaus, Paulo Aguiar.

O analista de câmbio comércio exterior Marco Antônio dos Reis, 42, há quatro anos todo dia 22 de setembro deixa o carro na garagem e se desloca ao trabalho de bicicleta. “Por dia, em média, levo 55 minutos para conseguir concluir o percurso de oito quilômetros desde a minha casa, no Parque Dez, até o Centro. No caso de hoje (quinta) levei 25 minutos de bicicleta para conseguir realizar todo o percurso. Além de ganhar tempo, toda vez que resolvo vir de bicicleta ao trabalho me sinto mais disposto para o dia e ganho mais agilidade nas minhas atividades”, disse.

Conforme o analista, no percurso, a maior dificuldade encontrado pelo caminho foi o desrespeito. “Infelizmente os motoristas não reconhecem a bicicleta como um veículo ou um meio de transporte e, muitas das vezes, eles nos mandam sair da rua e ir pra calçada enquanto estamos ocupando o local certo”. Marco Antônio é natural de São Paulo (SP), e desde que veio morar em Manaus, adotou a bicicleta para conhecer melhor a cidade.

Assim como Marco Reis, o industriário Antônio Caporazzo, 64, também escolheu adotar a bicicleta em vez de usar o carro. Ele considerou a rota de casa ao caminho do trabalho tranquila e sem estresse. Ao todo, Antônio gastou oito minutos para completar o percurso enquanto todos os dias leva em média de 20 minutos para realizar. “Fiquei feliz quando tive a preferência de um ônibus me conceder a passagem assim como dois carros, tive a sensação que muitos motoristas estão entendo o verdadeiro sentido do compartilhamento de vias”, comentou.

Para  Paulo Aguiar, este é um momento de dar o primeiro passo. Mesmo sem a cidade oferecer melhores condições ideais, ele acredita na mudança do cidadão. “É preciso experimentar outros modais e fazer a diferença”, reforçou.

Programação especial
Dando continuidade à Semana da Mobilidade Urbana, o movimento Pedala Manaus realiza nesta sexta-feira (23) a 7º edição do Desafio Intermodal. O ponto de partida será às 18h, no Paço Municipal, Centro, tendo como ponto final, Cidades dos Carros, Darcy Vargas. Qual modal você acredita que irá chegar primeiro?

Publicidade
Publicidade