Publicidade
Manaus
INVESTIGAÇÃO

‘Diego Olhão’ foi contratado apenas para matar o cabeleireiro, diz delegado da DEHS

Delegado Juan Valério informou que Diego Olhão e Géssica Alves estão sendo ouvidos na DEHS e estão colaborando "na medida do possível" 12/09/2017 às 19:51 - Atualizado em 12/09/2017 às 20:17
Show diego
Foto: Divulgação/PC
Kelly Melo Manaus (AM)

A Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) afirmou que Diego Sabino Araújo, o “Diego Olhão”, foi contratado apenas para matar o cabeleireiro João Felipe de Oliveira Martins. O pistoleiro foi preso nesta segunda-feira (11), no município de Careiro da Várzea, distante 25 quilômetros de Manaus.

De acordo com o delegado titular da DEHS, Juan Valério, Diego Olhão e Géssica Alves estão sendo ouvidos na delegacia, mas a acareação deve entrar pela noite. Agora, a polícia trabalha para localizar o mandante do crime. “Na medida do possível, eles estão colaborando sim, mas ainda estamos em busca de mais detalhes. Ainda estamos ouvindo o Diego e essas oitivas vão entrar pela noite de hoje”, afirmou Valério ao portal acritica.com, sem dar detalhes do interrogatório.

Ainda segundo o delegado, os dois também passaram por uma acareação nesta segunda-feira para confrontar as versões dadas por ele. A motivação do crime também não foi revelada, para não atrapalhar as investigações.

Juan Valério afirmou que acredita no envolvimento de pelo menos outras duas pessoas no crime e nesta quarta-feira, às 9h30, ele vai conceder uma entrevista coletiva na Delegacia Geral, no Dom Pedro, na Zona Oeste, para falar sobre o caso.

A prisão

Diego Olhão foi preso na última segunda-feira, no município de Careiro da Várzea, e trazido para Manaus. Já Géssica foi presa no último sábado, no bairro Amazonino Mendes, na Zona Norte.

O crime aconteceu no último dia 30 de agosto, em um salão de luxo no conjunto Vieiralves, na Zona Centro-Sul de Manaus. Imagens do circuito interno flagraram o momento que o casal chegou na recepção, confirmou o atendimento e minutos depois mostra Diego seguindo da direção de João Felipe e efetuando vários tiros. O cabeleireiro morreu na hora. Para a polícia, o crime se trata de um crime encomendado.

Publicidade
Publicidade