Publicidade
Manaus
SAÚDE PÚBLICA

Diretoria do Delphina Aziz confirma paralisação nos serviços de cirurgia geral

Instituto que gerencia o Delphina Aziz informou que a empresa responsável pelos serviços no hospital optou por não renovar o contrato 30/01/2018 às 20:02 - Atualizado em 30/01/2018 às 21:41
Show delphina
Foto: Arquivo AC
Danilo Alves Manaus (AM)

Após quebra de contrato com empresa particular que disponibilizava médicos cirurgiões e outros profissionais da saúde, a diretoria do Hospital e Pronto-Socorro (HPS) Delphina Rinaldi Abdel Aziz, na Zona Norte de Manaus, confirmou nesta terça-feira (30) a paralisação nos serviços de cirurgia geral de urgência, no setor de emergência da unidade. 

A assessoria de comunicação do Instituto de Medicina Estudos e Desenvolvimento (Imed), organização social que faz a gestão do hospital, informou que está providenciando a contratação de uma nova empresa médica na área de cirurgia geral, para atendimento na unidade e que a empresa que atendia no hospital optou por não renovar o contrato. No entanto, a assessoria não informou o prazo para o serviço voltar a funcionar.

Ainda por meio da assessoria, a direção do Delphina Aziz afirmou que está procurando agilizar ao máximo o processo de contratação e que tem tomado todas as medidas para não prejudicar os usuários.

O número de médicos dispensados não foi confirmado pela administração do hospital, mas conforme o relatório de gestão divulgado no portal da transparência do Imed, cerca de dois médicos cirurgiões realizava o atendimento por plantão, totalizando média de mil atendimentos por mês.

Histórico

Em novembro do ano passado, pacientes da unidade denunciaram que as cirurgias eletivas, ou seja, aquelas que são marcadas com antecedência, estavam sendo canceladas devido à falta de pagamento para a cooperativa que administra parte do hospital.

Em nota, a Secretaria de Estado de Saúde do Amazonas (Susam) informou que o serviço de cirurgia geral será retomado amanhã. Ainda de acordo com o órgão, em dezembro do ano passado, foi renovado por mais três meses o contrato de gestão do Hospital e Pronto-Socorro da Zona Norte, com o Imed, sem redução de nenhum tipo serviço.  

Publicidade
Publicidade