Sexta-feira, 03 de Julho de 2020
ELEIÇÕES 2020

Diretório nacional do PT vai julgar irregularidades na escolha de Sinésio como pré-candidato

Segundo a presidente nacional da sigla, deputada federal Gleisi Hoffmann, decisão sobre recurso deve sair até a próxima segunda-feira (8). Em segundo turno de uma votação virtual tumultuada, Sinésio obteve 25 dos 46 votos dos delegados do partido



show_PHOTO-2020-02-18-11-31-07_F7B3617D-995F-4D12-A274-860964DFBFEC.jpg Foto: Arquivo/A Crítica
01/06/2020 às 18:13

A eleição do deputado estadual Sinésio Campos a pré-candidato do Partido dos Trabalhadores (PT) para concorrer à Prefeitura de Manaus foi contestada na executiva nacional do partido. Nesta segunda-feira, a presidente do diretório nacional do PT, deputada federal Gleisi Hoffmann, anunciou que o recurso será apreciado por uma comissão e deve ser julgado até a próxima segunda-feira (8).

Na última sexta-feira (29), 20 membros do diretório municipal de Manaus do PT apresentaram recurso à executiva nacional da legenda contra a decisão da reunião que dois dias antes escolheu Sinésio Campos, presidente estadual do partido, como pré-candidato da sigla à prefeito de Manaus.



Em segundo turno de uma votação virtual tumultuada, Sinésio obteve 25 dos 46 votos dos delegados do partido, contra dois registrados para o deputado federal José Ricardo e 19 abstenções de aliados de Ricardo que decidiram retirar-se do pleito.

No documento, dirigentes defendem a candidatura de José Ricardo, sem nenhum demérito (político ou pessoal) a Sinésio, e que o parlamentar melhor atende ao perfil da sigla que busca a união dos partidos de esquerda e progressistas com chances de ida para o segundo turno das eleições e obter a vitória nas urnas.

Diretorianos e diretorianas argumentam que a pré-candidatura do deputado federal possui densidade eleitoral e vem sendo construída na sua militância social e profissional e no desempenho de mandatos eleitoral no legislativo.

Informam também à executiva nacional que outro candidato a prefeito de Manaus desestimula a maior parte do pré-candidatos a vereador e justifica que diante dessa possibilidade 41 deles apresentaram manifesto, por escrito, de que desistirão de suas candidaturas ao legislativo municipal.

“Uma candidatura majoritária do PT, com musculatura eleitoral, impulsionará o desempenho da nossa chapa de vereadores, que também precisará ser vitoriosa em 2020, aumentando a nossa bancada na Câmara Municipal de Manaus, que atualmente só tem um vereador. Além disso, precisamos motivar e mobilizar nossa militância, que recebeu um balde de água fria na cabeça, com a escolha feita pelo DM (diretório municipal) nas prévias. Ela, a militância, como toda a sociedade manauara, acompanha as pesquisas de intenção de voto para prefeito, onde o nome de José Ricardo, há mais de um ano, desponta como um dos três primeiros colocados e, portanto, um dos favoritos do pleito”, diz trecho do documento.

O recurso aponta irregularidades na reunião do dia 27, dentre elas, as prévias internas deveriam ser realizadas por voto secreto; falta de debate e tempo necessário para realização de um segundo turno; troca de diretoriano sem seguir o rito partidário; cerceamento de manifestações (questões de ordem) e de denúncias feitas por dirigentes na reunião; além de o procedimento da votação, onde ocorreu a declaração de voto de dirigente por outro.

No recurso, membros do diretório municipal pedem ainda que o resultado do primeiro turno das prévias, em que José Ricardo venceu com 21 votos, contra 20 de Sinésio e cinco do vereador Sassá, é o que deve prevalecer na escolha do partido.

News larissa 123 1d992ea1 3253 4ef8 b843 c32f62573432
Repórter de A Crítica

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.