Publicidade
Manaus
ACORDO

Discussões para reduzir a tarifa de ônibus em Manaus começam na segunda-feira

Governador David Almeida e prefeito Artur Neto estiveram reunidos hoje e a retomada de subsídios às empresas foi um dos temas principais do encontro 12/05/2017 às 18:14
Show whatsapp image 2017 05 12 at 17.19.44
Artur entregou pedidos ao governador David Almeida (Foto: Antônio Lima)
acritica.com Manaus (AM)

As tratativas entre Governo do Estado e Prefeitura de Manaus para a retomada dos subsídios às empresas de transporte coletivo, o que deve ocasionar uma redução na tarifa de ônibus na capital amazonense, começam na segunda-feira.

A proposta partiu do governador David Almeida, que nesta quinta-feira sinalizou com a intenção de retomar os subsídios para baixar a tarifa do transporte público. Hoje, na primeira reunião oficial que teve com o prefeito Arthur Neto, eles começaram a tratar do assunto de maneira objetiva.

Segundo o governador, técnicos do Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros do Amazonas (Sinetram), do Sindicato dos Rodoviários, da Prefeitura de Manaus e da Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz) iniciar os estudos para a redução da tarifa.

"Com base nesses estudos, iremos avaliar e trabalhar abrindo mão do imposto em cima do diesel, para aquilo que significa na planilha o desconto do combustível, possamos abater na passagem de ônibus o mais breve possível", afirmou o governador David Almeida.

De acordo com o governador, no entanto, o subsídio será concedido em cima da quantidade de diesel consumida nos meses de março e abril, quando os empresários compravam o combustível já sem o abatimento de imposto. No mês passado, o vereador Marcelo Serafim denunciou que, quando havia subsídio, as empresas compravam volumes acima do necessário para revender o produto excedente no mercado negro.

"Com as denúncias que foram feitas, o subsídio vai ser dado em cima do que foi consumidos nos meses de março e abril. Nós não voltaremos aos patamares anteriores, vamos trabalhar em cima do que elas já estão consumindo", antecipou.

O prefeito Artur Neto, que entregou ao governador uma lista com 12 pedidos em pontos específicos, afirmou que sugeriu ainda que a comissão que irá avaliar a redução da tarifa de transporte coletivo incluísse órgãos como o Ministério Público do Estado, Ministério Público Federal e o Tribunal de Contas do Estado. "É uma boa solução para legitimar esta conversa entre Governo e Prefeitura", afirmou Artur, que espera sucesso nas negociações., "O conflito estava no fato de que o governador antecessor não honrava sua participação combinada (nos subsídios às empresas", disse o prefeito.

*Com informações da repórter Geizyara Brandão

Publicidade
Publicidade