Publicidade
Manaus
INJÚRIA

'Patixa Teló' registra boletim de ocorrência após divulgação de vídeo invasivo na internet

Ele foi filmado dentro de banheiro, sofrendo xingamentos; Caso foi registrado no 12º Distrito Integrado de Polícia (DIP), que vai investigar o caso e procurar os autores 23/05/2017 às 16:51 - Atualizado em 23/05/2017 às 16:54
Show patixa
Patixa aparece em uma foto egurando o Boletim de Ocorrência / Foto: Reprodução  
Paulo André Nunes Manaus (AM)

Antônio Luis Souza da Silva, figura conhecida na cidade como “Patixa Teló”, registrou um boletim de ocorrência por injúria, um dia após ter um vídeo em que aparece dentro de um banheiro viralizado na internet. Nele, Patixa aparece com o seu short abaixado sentado em cima de um vaso sanitário, limpando-se com papel higiênico e cercado por rapazes que constantemente falam com ele e estão com copos de cerveja na mão.

O boletim de ocorrência foi registrado no 12º Distrito Integrado de Polícia (DIP), localizado no Parque das Laranjeiras, Zona Centro-Sul, que vai investigar o caso e procurar os autores da gravação, de acordo com informações da Polícia Civil. No  B.O. consta que Antônio Luis Souza da Silva foi “filmado sem consentimento, o que vem causando grande repecussoa negativa contra a sua honra”

'Patixa' fez a denúncia ao lado do empresário de forró Edy Araújo, mais conhecido como “Edy Murplhy”, que não foi encontrado pela reportagem para comentar o caso até o fechamento desta matéria. Nas redes sociais, Patixa aparece em uma foto divulgada pelo denunciante segurando o B.O.  

Num dos trechos do polèmico vídeo uma das pessoas que cercam Patixa diz “Tu vai ser presidente do Brasil”. Outro fala: “Vai ser governador no lugar do Melo”, em alusão ao ex-governador.  Em outra parte do vídeo, um rapaz chama Patixa de “gay”. Logo após, outro pega no queixo dele. 

A divulgação via redes sociais do vídeo repercutiu junto a entidades que levam a bandeira das pessoas com deficiência. Por meio de sua coordenação, a Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência (Seped), que é comandada pela secretária Vania Suely de Melo e Silva, avalia que o caso gera indignação  por mostrar a invasão de privacidade de uma pessoa com deficiência ou não. “Sendo pessoa com deficiêcia a indignação aumenta pois ela não tem como se defender, pois tem um déficit cognitivo e deficiência intelectual, e está passível e sendo induzida ao ridículo”, disse a Seped por meio de sua assessoria técnica. 

Publicidade
Publicidade