Publicidade
Manaus
Manaus

Dois restaurantes são interditados e 200 quilos de alimentos são apreendidos no Centro de Manaus

Nos estabelecimentos foram encontrados fezes de ratos e baratas, panelas em péssimo estado de conservação e até uma caixa de gordura na cozinha do loca 23/11/2013 às 18:13
Show 1
Diversas irregularidades sanitárias foram encontradas pela DVisa no restaurante Texas, entre as ruas 24 de Maio e Joaquim Sarmento
ACRITICA.COM* Manaus (AM)

Mais de 200 quilos de alimentos foram apreendidos e inutilizados pelo Departamento de Vigilância Sanitária (DVisa) neste sábado (23) durante a 8ª Edição do Projeto Viva Centro. Durante a ação, dois restaurantes foram interditados e um foi notificado. As atividades são coordenadas pela Secretaria Municipal do Centro (Semc) e envolvem mais de dez secretarias da Prefeitura de Manaus.

O restaurante Texas, localizado na esquina das ruas 24 de Maio e Joaquim Sarmento, foi interditado porque os fiscais da DVisa encontraram diversas irregularidades sanitárias com risco à saúde humana. Foram encontrados fezes de ratos e baratas, panelas em péssimo estado de conservação e até uma caixa de gordura na cozinha do estabelecimento.


A churrascaria Zitos, também na rua Joaquim Sarmento, foi interditada. Parte dos alimentos inutilizados no local estava em uma câmara fria com resfriamento inadequado, o que não garante a conservação do material. Além disso, os produtos como fígado cru e verduras estavam no chão. Nas panelas e na dispensa, onde eram guardados alimentos não perecíveis, foram encontradas fezes de ratos. Todo material foi recolhido para a lixeira pública pela Secretaria Municipal de Limpeza e Serviços Públicos (Semulsp).

O restaurante do Mineiro foi notificado para se regularizar porque o mesmo estava com a Licença Sanitária vencida.

Camelôs

Os fiscais da Secretária Municipal de Feiras, Mercados, Produção e Abastecimento (Sempab) orientaram e ordenaram mais de 50 barracas de camelôs na rua Instalação e na avenida Epaminondas, também no Centro da capital. Muitos não obedeciam ao limite de 20 centímetros além da barraca para expor seus produtos.

Com o auxílio do Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização do Trânsito (Manaustrans), os camelôs que estavam na rua, atrapalhando a faixa de passeio dos carros nas duas vias, tiveram que recuar para as calçadas respeitando o limite de 50 centímetros para a circulação de pedestres. A ação é considerada emergencial pela Prefeitura até a realocação dos vendedores para os Centros de Comércio Popular definitivos.


Conforme a Semc, as ruas Instalação e Epaminondas serve para os carros de passeio no contra-fluxo do sentido dos ônibus que vão para o terminal da Matriz, mais à frente. Como a via era obstruída, muitos motoristas invadiam, na contramão, a faixa exclusiva para ônibus. A Superintendência Municipal de Transportes Urbanos (SMTU) auxiliou na orientação dos motoristas do transporte coletivo.

Ainda nas ruas do Centro, sete lojas foram notificadas pelo Instituto Municipal de Ordem Social e Planejamento Urbano (Implurb) para adequarem suas fachadas e placas. O órgão determinou que outras 17 lojas recolhessem para dentro dos estabelecimentos os materiais que eram expostos nas calçadas.

Já a Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf) recuperou calçadas e construiu uma rampa de acessibilidade para cadeirantes e, também, auxiliou na retirada de materiais que obstruíam o passeio público. Foram tiradas madeiras, ripas, lonas e fios que estavam pregados nas árvores e eram usados por camelôs e lojistas.

Floreiras

Esta edição do Projeto Viva Centro também contou com a presença da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas), que fez a distribuição de 300 mudas frutíferas e ornamentais produzidas pelo Programa Manaus Verde e Viva, da Prefeitura de Manaus.

Desde o início do projeto até agora, a Semmas já distribuiu 2,4 mil mudas. Além da distribuição das mudas, a Secretaria também instalou 54 floreiras nas vias centrais, na frente de estabelecimentos comerciais que se comprometeram a cuidar da manutenção das plantas nos vasos. Técnicos da Semmas estão avaliando a condição dos vasos e os cuidados dispensados pelos comerciantes para que possam receber os certificados de Amigos do Verde.

*Com informações da assessoria de imprensa

Publicidade
Publicidade