Publicidade
Manaus
violência

Bairros com alto índices de crime serão monitorados por meio de câmeras

Mapa da violência de Manaus revela que pelo pelos quatro bairros o índice de violência ainda é alto. SSP cria ações para diminuir a curva co crime 24/04/2016 às 05:30 - Atualizado em 25/04/2016 às 07:05
Show j. texas
Rua 4 do Jorge Teixeira é consideradas violenta pela polícia. (Gilson Mello)
Joana Queiroz Manaus (AM)

A Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM) contabilizou, em 2015, a prisão de 10, 6 mil pessoas envolvidas com crimes, mas de acordo com o secretário do órgão, Sérgio Fontes,  ainda tem muito  criminosos solto nas ruas praticando crimes diversos, e  entre os principais estão o roubo, furto, tráfico de drogas, homicídios e agressão física. A população, por sua vez, reclama principalmente dos roubos a quem transita pela rua, que é o que ocorre com maior frequência e atualmente tira a tranquilidade de todos.

“Aqui a gente não pode dar mole. É só sair nas ruas que já aparece  uma dupla de motociclistas anunciando o assalto”, relata uma moradora da rua Sabá Reis, bairro Colônia Terra Nova, Zona Norte. Para atender o anseio da população a SSP fez um mapeamento da cidade para identificar os locais onde há maior incidência de crimes.

O mapeamento destaca quatro bairros como principais “áreas vermelhas do crime”. As ruas  Melo Talismã, Alto Paraiso, Cravinos  e Itaúba, no Jorge Teixeira, Zona Leste, estão entre os locais onde o índice de violência é elevado. Na Zona Norte, os bairros Monte das Oliveiras e Colônia Terra Nova, com as ruas Madresselva, Monte Alegre do  Sul e  Hárem. A Zona Oeste está no mesmo patamar.

De acordo com o secretário de segurança pública, Sérgio Fontes, o bairro da Compensa se destaca dos demais bairros da Zona Oeste  como um “bolsão de violência”, causada pelo tráfico de drogas. Para Fontes,  tem muito criminoso nas ruas e que precisam ser combatidos. Não basta prendê-los, mas é necessário criar meios para evitar que continuem praticando  o  delito.  

Os crimes mais comuns nessas áreas de são os roubos, principalmente os que ocorrem em via pública, classificado pela polícia como “roubo a transeunte”, seguido de furto e depois lesão corporal, além dos homicídios que vem diminuindo  nos últimos dois meses. “A nossa ideia é diminuir todos os índices”, disse o secretário.

Operações

Fontes destacou as ações que estão sendo planejadas para diminuir a violência. Desde o ano passado que a polícia realiza operações nas áreas de bocas de fumo para evitar homicídios por conta de cobrança de dívidas  do tráfico e disputa de espaço. Além das operações, os cumprimentos de mandados de prisões e de busca e apreensões também são prioridades.

Até o final deste mês vai estar funcionando o  plantão criminal de finais de semana, começando  na sexta- feira à noite. De acordo com o secretário, as morte violentas serão investigadas por uma equipe especial logo depois que ocorrerem. Um delegado, um escrivão e um perito criminal vão estar nos locais do crime com o objetivo de prender o autor do crime logo que cometer o crime.

A equipe vai estar  preservar o local do crime, colhendo  as provas e iniciando as investigações. “É no calor das emoções quando as pessoas ainda estão revoltadas que elas falam sobre o que aconteceu.  Se deixar para a segunda-feira o que acontecer hoje, elas já pensaram melhor, ou foram ameaçadas e não querem mais colaborar com a polícia”, disse.

‘Crack, é Possível Vencer’

No Jorge Teixeira e Terra Nova está sendo implantado o projeto “Crack, é Possível Vencer”, que é um conjunto de ações do governo federal  com o  estadual para enfrentar o crack e as outras drogas. Cada bairro vai ganhar 19 câmeras de segurança, um ônibus que vai receber essas imagens e jogar para o Centro Integrado de Operações de Segurança (Ciops).  

A rua 4, no Jorge Teixeira, é um dos locais considerado com alto índice de violência e que acabou de receber câmeras de segurança. Moradores garantem que o equipamento já “espantou  os criminosos”. O mecânico Francimar Caldeira, 38, disse que viu o cunhado ser assassinado por traficantes em frente a sua oficina.

Ações da SSP

Plantão criminal nos finas de semana, a instalação de mais câmeras de segurança nos bairros onde há alto índice de violência, ações sociais e o aumento de policiamento nas ruas são algumas das medidas que estão sendo tomadas pela Secretária de Segurança Pública (SSP) para reduzir o crime.

BLOG - comerciante Neide Bentes

"Cansei de ser assaltada. Desde o ano passado tomei a decisão de cuidar mais da minha segurança e da minha família. Por isso, decidi colocar grades no meu estabelecimento e há mais de um ano só atendo meus clientes por trás das grades. Nunca mais fui assaltada. Os assaltos eram frequentes aqui. Os assaltantes chegavam de motocicleta, de carro e a pé apontavam a arma para a cabeça da gente e levavam todo dinheiro. De todos os assaltos, o pior foi um que os ladrões chegaram, renderam a mim, o meu marido e um vizinho. Eles mandaram a gente deitar no chão e levaram toda a renda. Eu me senti humilhada e não quero mais passar por isso. Temo pela segurança da minha família".

Publicidade
Publicidade